R.Unido diz que faz o máximo possível para evitar baixas civis no Afeganistão

Londres, 15 fev (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse hoje que as tropas aliadas estão fazendo o máximo possível para evitar as baixas civis no Afeganistão, depois que um bombardeio da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) matou 12 civis.

EFE |

"Falei com o presidente afegão, Hamid Karzai, porque queria que soubesse que estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para minimizar as baixas civis", disse o primeiro-ministro.

Brown buscou justificar o ocorrido explicando que "um grande número de soldados entraram em uma área onde tivemos problemas com os insurgentes talibãs e onde nossas forças correm risco de serem atingidas por bombas".

"Temos que fazer tudo o que pudermos para garantir a segurança de nossas tropas. Ao mesmo tempo, o propósito desta missão é ganhar o apoio dos afegãos, convencê-los a apoiarem a Constituição do Afeganistão e afastar-lhes dos talibãs", disse.

Os 12 civis foram vítimas de dois mísseis do Sistema de Mísseis de Artilharia de Alta Mobilidade (Himars), que erraram o alvo.

O primeiro-ministro se mostrou confiante no êxito da Operação Moshtarak, a maior ofensiva contra os talibãs desde a invasão em 2001, porque "o povo não quer ter o medo que suscitam os talibãs, nem enfrentar a possibilidade de a Al Qaeda retornar ao Afeganistão". EFE fpb/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG