R.Unido confirma que soldado britânico morreu em resgate de jornalista

Londres, 9 set (EFE).- Um soldado britânico morreu na operação militar para libertar Stephen Farrell, jornalista do diário The New York Times sequestrado no norte do Afeganistão havia quatro dias, confirmou hoje o Ministério da Defesa do Reino Unido.

EFE |

Farrell, que tem nacionalidade britânica e irlandesa, foi libertado na madrugada da terça para quarta-feira por um comando militar, mas o intérprete afegão Sultan Munadi, que foi sequestrado junto com o jornalista em uma localidade ao sul de Kunduz, morreu na operação, afirmou o jornal em seu site.

De acordo com o Ministério da Defesa, o soldado britânico, sobre quem não foram informados detalhes, morreu em um confronto com insurgentes talibãs durante a missão de resgate.

Diante das informações que falam do envolvimento de forças especiais na libertação, uma porta-voz de Defesa se limitou a dizer que "não fazemos comentários sobre as forças especiais. Tudo o que podemos dizer é que foi uma operação da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte)".

Com a morte do soldado, o número de baixas militares britânicas no Afeganistão desde o início do conflito, em 2001, sobe para 213.

Farrell e o intérprete foram sequestrados no sábado passado quando investigavam o bombardeio lançado um dia antes por aviões da Otan contra dois caminhões de gasolina sequestrados pelos talibãs e que, segundo algumas fontes, deixou pelo menos 90 mortos, muitos deles civis. EFE pa/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG