Lagos, 11 jan (EFE).- Políticos na Nigéria participaram hoje de intensas reuniões após informações - não confirmadas oficialmente - de que o presidente do país, Umaru YarAdua, estaria hospitalizado na Arábia Saudita por problemas cardíacos e danos cerebrais irreversíveis.

O porta-voz da Presidência, Olusegun Adeniyi, pediu aos nigerianos que deixem de lado o rumor sobre uma piora na saúde de Yar'Adua e afirmou que se trata "do produto da imaginação de alguém".

Yar'Adua, de 58 anos, está internado desde 23 de novembro passado em um hospital saudita, onde, segundo informações oficiais, é tratado de uma pericardite aguda (inflamação dos tecidos do coração).

Segundo o porta-voz, "o Presidente não só está vivo e bem, mas muito consciente e melhorando" de seu problema de sáude.

No entanto, os governadores dos 36 estados nigerianos estão reunidos em Abuja, a capital federal, para discutir sobre o assunto.

Acredita-se que os líderes estaduais discutirão uma forma de resolver a estagnação política produzida pela falta de uma transferência oficial do poder ao vice-presidente do país, Goodluck Jonathan, como estipula a Constituição.

A situação de incerteza criada pela saúde do presidente piorou depois que uma matéria do jornal local "Next" apontou que o líder teria sofrido danos cerebrais irreversíveis no hospital. EFE dá/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.