Ruanda envia tropas para território da RDC para perseguir rebeldes hutus

KKinshasa, 20 jan (EFE).- Soldados de Ruanda entraram hoje em território da República Democrática do Congo (RDC) para participarem de uma operação conjunta com tropas locais contra rebeldes hutus ruandeses que têm bases no leste do território congolês, confirmaram fontes das Nações Unidas.

EFE |

Porta-vozes da Missão da ONU na República Democrática do Congo (Monuc) disseram que entre 1.500 e 2.000 soldados do Exército de Ruanda estão agora em Kibati, localidade que fica a 35 quilômetros de Goma, capital da província do Kivu Norte.

As tropas de Ruanda avançam rumo a Rutshuru, que fica na área de selva das montanhas Virunga, onde os rebeldes ruandeses têm seus acampamentos, disseram as fontes da Monuc, que especificaram que o Exército da RDC também se mobilizou na mesma direção com tanques e unidades de lança-foguetes.

Os Governos de Kinshasa e Kigali decidiram no dia 5 de dezembro passado desarmar os rebeldes das Forças Democráticas para a libertação de Ruanda (FDLR), formadas por membros do antigo Exército ruandês e a milícia hutu interahamwe, responsável pelo genocídio realizado em Ruanda entre abril e julho de 1994 e que fugiram depois para o leste do antigo Zaire.

O genocídio começou na madrugada do 7 de abril de 1994, poucas horas depois de o avião do então presidente ruandês, Juvenal Habyarimana, ser derrubado por um míssil quando tentava aterrissar no aeroporto de Kigali.

Ninguém assumiu a responsabilidade pelo atentado, mas o Governo controlado pela etnia hutu acusou o grupo rebelde tutsi Frente Patriótica Ruandesa, que dirigia o atual presidente ruandês, Paul Kagame. EFE py/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG