RSF pede que EUA contribuam para promover direitos humanos

Paris, 26 fev (EFE).- A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) pediu hoje à nova Administração americana que aproveite sua influência para promover os direitos humanos, em particular nos países onde mais são desrespeitados, após lembrar as graves derivas durante o mandato de George W.

EFE |

Bush.

Em carta dirigida ao presidente americano, Barack Obama, e a sua secretária de Estado, Hillary Clinton, a RSF insiste, principalmente, em "chamar (a) atenção sobre a situação dos jornalistas em um determinado número de países que estão nas prioridades diplomáticas" de Washington.

Refere-se às relações com o México e ressalta que os dois Governos devem "assumir juntos a proteção da fronteira" para garantir "o Estado de direito", após aludir ao caso do mexicano Emilio Gutiérrez Soto, detido "injustamente" durante sete meses pelos serviços de imigração de El Paso.

A RSF diz que deseja que "o financiamento do Plano Colômbia, que tanto custa ao contribuinte americano, seja revisado em proporção aos esforços reais realizados pelas autoridades de Bogotá a favor dos direitos humanos".

Sobre Cuba, comemora a nova disposição da Administração Obama de flexibilizar o embargo, que "não fez mais que reforçar o regime castrista em detrimento do povo cubano" e "terá que ser suspenso algum dia", porque "o futuro da ilha depende disso".

A RSF detalha demandas para que os Estados Unidos façam valer os direitos humanos, e em particular os dos jornalistas, perante outros países de outros continentes nos quais considera que não são respeitados, em particular China, Iraque, Afeganistão e Irã, mas também Zimbábue, Rússia, Eritréia e Mianmar. EFE ac/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG