RSF denuncia norma para jornalistas de Hong Kong que cobrem China

Pequim, 7 fev (EFE).- A Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lamentou a nova regulação que o Governo chinês ditou para os jornalistas de Hong Kong e Macau, que os obrigará a pedir permissão prévia para trabalhar em regiões do interior da China afastadas das grandes cidades, informou a ONG, em comunicado.

EFE |

"Pedimos às autoridades chinesas que não voltem ao passado desta maneira, revertendo um dos poucos efeitos positivos dos Jogos Olímpicos", destacou a RSF no documento, enviado à Agência Efe.

A nova regulação obriga os jornalistas dessas regiões administrativas especiais - as únicas que têm liberdade de imprensa na China - a pedir permissões das autoridades locais para informar, como ocorria antes de 2007 com todos os jornalistas estrangeiros.

A partir de 1º de janeiro daquele, por ocasião da proximidade dos Jogos Olímpicos, foi eliminado esse requisito, a fim de facilitar o trabalho dos repórteres no evento esportivo, e, com o fim do mesmo, Pequim anunciou que manteria a nova regulação no caso dos profissionais estrangeiros.

A situação dos jornalistas de Hong Kong e Macau, regidos por instituições diferentes, também foi mantida temporariamente, mas, nesta sexta-feira, as autoridades chinesas fixaram um retorno às antigas práticas.

Além disso, os jornalistas das ex-colônias britânica e portuguesa terão que obter um carteira da Associação de Jornalistas da China se quiserem trabalhar na parte continental. EFE abc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG