RSF critica fechamento de rádios na Venezuela

Paris, 2 ago (EFE).- A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) protestou hoje contra o fechamento de 34 rádios na Venezuela, impedidas de funcionar por capricho do Governo.

EFE |

O "fechamento maciço", que atende "oficialmente a razões administrativas", atende apenas à "vontade do Governo de aplacar as vozes discordantes e só piorará as divisões no seio da sociedade venezuelana", declarou a RSF.

Na sexta-feira, o diretor da Comissão de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela, Diosdado Cabello, disse que as rádios foram fechadas por conta da "morte do titular (da concessão), do vencimento da concessão, da falta de renovação na autorização ou da improcedência na transferência da titularidade (da concessão)".

Os representantes da oposição reagiram e disseram que por trás do argumento da Conatel está o desejo do Governo de "aplacar as vozes dissidentes e as críticas ao presidente Hugo Chávez".

"Em qualquer Estado de direito, diante da suspeita de que um meio de comunicação utiliza uma frequência de maneira irregular, este é avisado com antecedência do procedimento aberto contra ele", lembrou a RSF.

Além disso, "seus representantes teriam a chance de defender sua causa ou de apresentar um recurso", acrescentou a organização. EFE jaf/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG