Roupa que Robert Kennedy usava quando assassinado é retirada de exposição

Washington, 4 mar (EFE).- A Polícia de Los Angeles retirou de uma exposição algumas peças da roupa que Robert F.

EFE |

Kennedy usava quando foi assassinado, em 1968.

Maxwell Taylor Kennedy, filho de Robert, escreveu uma carta ao jornal "Los Angeles Times" criticando a atitude do Departamento de Polícia de Los Angeles, que expôs a camisa, a gravata e o paletó que seu pai vestia numa exposição durante encontro da associação de investigadores de homicídios da Califórnia, em Las Vegas.

"Sou o filho de Robert F. Kennedy, assassinado em Los Angeles há mais de 40 anos. Como filho da vítima de um crime, tenho o direito, garantido pela Constituição, de que minha família e eu sejamos tratados com respeito e dignidade. Fiquei horrorizado", disse o documento.

Chefe da Polícia de Los Angeles, Charlie Beck, disse à mesma publicação que os artigos tinham sido retirados da exposição ainda na terça-feira, e pediu desculpas à família Kennedy.

"A última coisa que queremos é traumatizar a família de uma vítima, e eu sou muito sensível a isso. Porém, ao mesmo tempo queremos preservar a história da cidade de Los Angeles e queremos melhorar a qualidade e o conhecimento sobre nossas investigações de homicídios".

Maxwell Taylor Kennedy disse ao jornal que ficou satisfeito pela retirada das peças. "É preciso lembrar que estes artigos são propriedade particular confiados ao Estado, não para serem explorados". EFE.

jab/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG