Roubo de materiais recicláveis se torna um bom negócio nos EUA

SÃO FRANCISCO - Toda quarta-feira à noite Bruce Johnson coloca o lixo para fora e prepara os reciclados para a coleta. Na mesma noite um caminhão espera diante de sua casa e estranhos vasculham seu lixo roubando materiais que passaram a valer muito.

AP |

O vidro quebra, o papel voa - os homens desaparecem horas antes da visita dos lixeiros.

"Eles são um exército", disse Johnson. "Eles aparecem em caminhões. Estão sempre ao celular. Funcionam como uma empresa".

Com a alta do preço do alumínio, papelão e papel jornal e a economia pressionando o bolso das pessoas, o lixo ganhou valor de mercado.

Um caminhão cheio de material reciclado pode valer até US$1,000; só os jornais chegam a US$600.

"Esses ladrões de lixo se tornaram mais organizados e muito mais presentes na cidade", disse Robert Reed, porta-voz da Norcal Waste Systems Inc., uma companhia de coleta e reciclagem de São Francisco e outras cidades do norte da Califórnia. "Isso não tem nada a ver com o homem de rua solitário que coletava algumas latas. Nós vemos frotas organizadas de ladrões de lixo profissionais".

Roubar lixo é crime

A questão chamou a atenção das autoridades locais, que vêem mais danos do que somente a invasão da privacidade de seus moradores, dizendo que a perda da verba da reciclagem pode ameaçar a viabilidade financeira dos projetos municipais.

O roubo de latas, garrafas e outros materiais recicláveis de latas de lixo é ilegal em muitos lugares, incluindo São Francisco e Nova York.

Em São Francisco, os ladrões de lixo podem ter que pagar uma multa de US$500 e seis meses de prisão.

Em Nova York, os infratores também podem ser condenados à prisão e as multas chegam a US$5,000.

Os legisladores da Califórnia também consideram a possibilidade de uma lei que dificulte a reciclagem anônima forçando a solicitação de uma identidade com foto na hora da venda de material com valor superior a US$50 em latas, garrafas, ou jornais e a pagar os indivíduos em cheques.

No condado de Westchester, New York, uma proposta que visa dificultar a coleta de reciclagem em larga escala com multas de até US$ 2 mil.

Algumas companhias de coleta também passaram a adotar medidas para evitar o roubo.

Leia mais sobre: reciclagem

    Leia tudo sobre: apeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG