Londres, 16 fev (EFE).- ,Conhecido como o cérebro do roubo do século, cometido em 1963 ao trem pagador do Royal Mail, em Glasgow, na Escócia, o assaltante inglês Ronald Biggs -que viveu no Rio de Janeiro por 36 anos- voltou hoje à prisão após passar o fim de semana internado em um hospital com uma pneumonia.

Após receber tratamento durante dois dias, Biggs, de 79 anos, retornou ao centro penitenciário de Norwich, no leste da Inglaterra, onde cumpre detenção de 30 anos, informou a agência britânica "PA".

A internação de Biggs, na sexta-feira, aconteceu exatamente no dia em que seus parentes esperavam que ele pudesse receber liberdade condicional por cumprir a terça parte de sua pena e estar com estado de saúde precário após sofrer uma apoplexia (sangramento dentro de um órgão) que quase o matou.

Em outubro do ano passado, o jornal "The Guardian" informou que Biggs, e manifestou seu desejo de "poder morrer como um homem livre", o que esperava que acontecesse no dia 14 deste mês.

Ele também disse ter vontade de voltar para o Brasil, caso seja libertado.

Segundo o "Guardian", os amigos de Biggs querem buscar um lar de idosos no norte de Londres para que possa ficar perto de filho Mike, brasileiro se transferiu a Londres quando seu pai decidiu retornar ao Reino Unido e obteve a nacionalidade britânica.

Nascido em 1974, Mike, ex-integrante do grupo infantil Turma do Balão Mágico, filho de Ronald com a brasileira Raimunda de Castro, deu a ele o direito de viver no Brasil, onde vivia desde 1965.

A lei brasileira não permite que um homem, mesmo fugitivo, seja extraditado se tiver um filho brasileiro.

Biggs chegou ao Brasil depois de fugir de cadeia -após 15 meses preso- e por Paris, onde fez uma cirurgia plástica e pela Austrália.

Junto com outras 15 pessoas, assaltou o trem dos Correios em 8 de agosto de 1963, roubando 2,6 milhões de libras, na época valor recorde em um único assalto e foi preso em janeiro de 1964. EFE jm/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.