Ronald Biggs tenta obter liberdade condicional

Londres, 18 abr (EFE).- O britânico Ronald Biggs, conhecido como o cérebro por trás do roubo do século, que foi o assalto a um trem do Royal Mail em Glasgow, na Escócia, em 1963, entrará na próxima quinta-feira com um pedido de liberdade condicional alegando ter idade avançada e problemas de saúde.

EFE |

A informação foi dada pelo filho do ladrão, Michael, que lembrou que, na quinta, haverá uma reunião do comitê que tratará da eventual libertação de Biggs, preso na penitenciária de Norwich, norte da Inglaterra.

A família quer que o comitê leve em conta a avançada idade do preso e o delicado estado de saúde de Biggs, e concorde em conceder a liberdade condicional até 8 de agosto, quando será comemorado o 80º aniversário do detento.

A data coincide com a do famoso assalto no qual Biggs e outros 14 homens roubaram 2,6 milhões de libras.

Em defesa do pai, Michael Biggs afirma que ele não "representa nenhum perigo para a sociedade".

Ronald Biggs sofreu diversos problemas de saúde e, em fevereiro, foi internado em um hospital de Norwich com quadro de pneumonia.

Em 2001, Biggs retornou voluntariamente ao Reino Unido após ficar foragido no Brasil. Os advogados do assaltante afirmam que ele tem direito à liberdade condicional, por já ter cumprido um terço dos 30 anos aos quais foi condenado pelo roubo. EFE fpb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG