Ronald Biggs pode ser libertado no Reino Unido

Londres, 26 jun (EFE).- O britânico Ronald Biggs, o chamado ladrão do século pelo assalto ao trem de Glasgow (Escócia) em 1963, pode ser colocado em liberdade no prazo de um ano, informou hoje seu advogado, Giovanni Di Stefano.

EFE |

Biggs, que em 2001 retornou voluntariamente ao Reino Unido após permanecer no Brasil foragido da Justiça britânica, tem direito à liberdade condicional porque cumpriu um terço de sua pena de 30 anos, indicou seu representante legal.

Segundo Di Stefano, o Ministério da Justiça enviou o caso de Biggs à Comissão da Liberdade Condicional, que deve decidir se concede a liberdade a ele em 2009.

"Eles não contam o tempo em que (Ronald) permaneceu detido no Brasil e Barbados e certamente vou enfatizar isto, já que com isso a data da liberdade condicional seria em dezembro de 2008", disse o advogado.

"Ronnie conversou um pouco com seu filho Michael e disse que agora pode ver o fim de seu pesadelo", disse.

Biggs, que sofreu vários derrames cerebrais, foi condenado a 30 anos de prisão por sua participação no roubo a um trem dos Correios em 8 de agosto de 1963.

O bando de Biggs roubou 2,6 milhões de libras (3,2 milhões de euros), que nessa época foi a maior quantia roubada em um só assalto.

A Polícia conseguiu deter os ladrões em janeiro de 1964.

Após ser processado e condenado a 30 anos de prisão, Biggs foi para a penitenciária de Wandsworth (Londres), de onde fugiu 15 meses depois.

Em seguida, ele fugiu a Paris, onde se submeteu a cirurgia plástica, e com um passaporte falso viajou à Austrália.

Após passar por vários países, o ladrão se estabeleceu no Brasil, onde teve um filho.

Como a lei brasileira não permite a extradição de um homem que tenha um filho nascido no país, o Reino Unido teve problemas para conseguir fazer com que Biggs voltasse para cumprir sua pena. EFE vg/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG