Ronald Biggs é transferido para clínica de repouso em Londres

O britânico Ronald Biggs, que participou de um assalto a um trem em 1963 e ficou foragido no Brasil por vários anos, foi transferido nesta segunda-feira de um hospital na cidade de Norwich, no leste da Inglaterra, para uma clínica de repouso em Londres. Embora ainda tivesse mais de 20 anos de sua pena por cumprir, o assaltante recebeu no dia sete deste mês o perdão das autoridades britânicas devido a seu estado de saúde.

BBC Brasil |

Biggs, que tem 80 anos e vinha passando por tratamento para curar uma pneumonia no Hospital Universitário de Norwich, foi levado de ambulância para a clínica no bairro londrino de Barnet.

O seu advogado, Giovanni Di Stefano, afirmou que Biggs só melhorou "o suficiente para ir àquele que será o seu último lar".

''Pouco para viver''
O ladrão do trem pagador cumpria pena na prisão de Norwich quando o seu estado de saúde se agravou em julho e ele precisou ser internado.

Na semana passada, ele afirmou querer continuar a viver "apesar daqueles que me querem morto".

"Ainda tenho um pouco para viver", disse.

No dia 6 de agosto, o ministro da Justiça britânico, Jack Straw, afirmou estar libertando Biggs, porque ele está "gravemente doente".

Cinco semanas antes disso, Straw tinha rejeitado uma recomendação da comissão de liberdade condicional britânica, acusando o assaltante de não demonstrar "arrependimento".

Em 1963, Biggs participou da quadrilha de 15 homens que atacou o trem pagador dos Correios britânicos entre Glasgow, na Escócia, e Londres.

A ousada ação, na cidade de Ledburn, rendeu à quadrilha 2,6 milhões de libras esterlinas. O condutor do trem, Jack Mills, foi agredido e sofreu ferimentos na cabeça durante a ação.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG