Romney e Gingrich trocam farpas em debate na Flórida

Acusado pelo rival de ser 'o mais anti-imigrante' dos pré-candidatos republicanos, Romney reage com irritação

iG São Paulo |

Os pré-candidatos republicanos à presidência dos EUA Newt Gingrich e Mitt Romney trocaram farpas ao discutir imigração durante um debate na noite de quinta-feira em Jacksonville, na Flórida. O Estado, que tem grande população hispânica, realiza primárias na terça-feira .

Gingrich afirmou que Romney é "o mais anti-imigrante” entre os quatro candidatos que buscam a candidatura republicana à presidência – além dos dois, também estão no páreo Ron Paul e Rick Santorum. Demonstrando mais emoção que de costume, Romney reagiu dizendo que o comentário era “simplesmente indesculpável”. “Meu pai nasceu no México”, afirmou. “Não sou anti-imigrante.”

Saiba mais: Veja o especial sobre as eleições nos EUA 2012

AP
Gingrich e Romney participam de debate em Jacksonville, na Flórida (26/01)

Romney ainda afirmou que Gingrich deveria se desculpar por um anúncio de rádio na qual o chamou de “anti-imigrante”. Segundo Romney, o anúncio só foi retirado após um pedido do senador da Flórida Marco Rubio , de origem cubana.

As propostas dos candidatos para a política migratória, porém, se mostraram parecidas. Tanto Gingrich quanto Romney afirmaram que querem impedir a imigração ilegal, criar programas para garantir que apenas imigrantes legais consigam empregos, e deportar parte dos cerca de 11 milhões de homens e mulheres que estão nos Estados Unidos violando a lei.

Disputa longa: Entenda como funcionam as eleições americanas

O debate é o último antes da primária da Flórida, onde pesquisas apontam uma disputa acirrada entre Gingrich e Romney. Segundo levantamento divulgado na quarta-feira pela Universidade de Quinnipiac, Romney está apenas dois pontos percentuais à frente do rival.

Durante o debate não faltaram ataques contra o patrimônio de Romney, que em 2009 e 2010 pagou uma taxa anual de menos de 15% em impostos , abaixo da média dos americanos, além de ter investimentos milionários em paraísos fiscais. Por outro lado, Gingrich foi atacado por sua relação com o gigante hipotecário Freddie Mac, embora ele negue envolvimento em qualquer tipo de lobby.

Com as atenções centradas nos dois favoritos, Santorum foi aplaudido durante o debate quando pediu que eles parassem de se atacar e “se concentrassem nos problemas do país”.

Entenda: Veja o especial do iG sobre a imigração nos EUA

Até agora, cada uma das prévias republicanas teve um vencedor. Gingrich ganhou a primária da Carolina do Sul , Romney levou a primária de New Hampshire , e Santorum o caucus de Iowa.

A disputa em Iowa teve apuração complexa. Na primeira vez em que os resultados foram divulgados, Romney havia sido declarado vencedor com uma diferença de oito votos sobre Santorum. Depois, o Partido Republicano declarou que falhas na contagem de votos impediam a declaração de um ganhador. Por fim, definiu que Santorum venceu por uma diferença de 34 votos.

Documentário anti-Romney

A batalha entre os dois candidatos promete se intensificar ainda mais, depois de aliados de Gingrich terem divulgado o trailer de um documentário que mostra Romney como alguém pouco confiável.

"Blood Money" (dinheiro sangrento, em tradução livre) é patrocinado pela Winning Our Future, um grupo de apoio financeiro que endossa a candidatura de Gingrich.

O trailer de um minuto descreve o ex-governador de Massachussets como um "progressista" com um "passado questionável nos negócios". "Este documentário irá expor ainda mais o passado de Mitt Romney", disse à Reuters Gregg Phillips, diretor administrativo do Winning Our Future.

Um documentário anterior, chamado "King of Bain" (rei da Bain), do mesmo grupo, mostra Romney como um ganancioso "destruidor de empregos" durante sua época à frente da Bain Capital, empresa de fundos privados.

A Winning Our Future recebeu duras críticas pelo filme de 27 minutos, que revoltou alguns líderes republicanos, para quem a produção representa um ataque à iniciativa privada como um todo.

Desde então, o grupo pró-Romney Restore Our Future gastou mais de US$ 10 milhões  em anúncios na Flórida. Desse montante, US$ 9,7 milhões foram para atacar Gingrich, de acordo com fontes de financiamento das campanhas.

Phillips disse que o bombardeio de mensagens anti-Gingrich na Flórida financiado pelo grupo rival foi o que desencadeou a iniciativa de fazer um novo documentário. "Eles fizeram isso conosco em Iowa e estão fazendo na Flórida", disse ele. "Temos que reagir".

Com AP, Reuters e EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG