Romney é atacado por rivais em debate republicano

No segundo debate em apenas 10 horas, rivais de Romney pareciam tentar atingí-lo antes das primárias de New Hampishire, na terça

AFP |

Os rivais de Mitt Romney na disputa pela indicação do Partido Republicano para concorrer à presidência atacaram, neste domingo, a "devoção sem sentido" de sua campanha, e o acusaram de ser um moderado tímido, que perderá para Barack Obama.

Infográfico: Quem são os principais pré-candidatos republicanos?

Saiba mais: Entenda como funcionam as eleições americanas

No segundo debate na TV em apenas 10 horas , os outros candidatos pareciam determinados a agarrar aquela que pode ser a última chance de atrapalhar Romney antes das primárias de New Hampishire, na terça-feira.

O ex-presidente da Câmara Newt Gingrich acusou o ex-governador de Massachusetts de ser um "moderado" com "um plano econômico tão tímido que se assemelha ao de Obama", e alertou os republicanos para que não achem que Romney é o candidato com mais chances de ser eleito.

Reuters
Mitt Romney fala e é observado por Rick Santorum
"Eu realmente acredito que, quanto maior o contraste, as ideias mais ousadas, as escolhas mais claras, mais difícil é para uma campanha bilionária manchar o caminho dele de volta ao governo" nas eleições do dia 6 de novembro, disse Gingrich.

"Eu estou muito orgulhoso do passado conservador que eu tenho", respondeu Romney que parece ser o provável candidato a ser nomeado se ele puder tirar proveito de sua ampla liderança nas pesquisas de opinião ali e na Carolina do Sul depois de conseguir uma vitória no caucus de Iowa na semana passada.

Em um ataque a Gingrich e ao ex-senador Rick Santorum, um devoto cristão conservador, Romney disse "alguém que não seja um eterno político" teria uma chance maior em vencer Obama e destacou que "temos que nomear um líder".

Santorum apontou a decisão de Romney de não concorrer à reeleição como governador em face das fracas pesquisas eleitorais e vociferou: "queremos alguém, quando os tempos ficarem difíceis - e teremos nessa eleição - queremos alguém que vai se levantar e lutar pelos princípios conservadores, não pular fora ou não prosseguir".

"A política não é uma carreira. Para mim, minha carreira estava nos negócios", disse Romney que ganhou milhões como investidor de capital de risco e fracassou na nomeação do partido em 2008.

"Podemos pegar um pouco dessa devoção sem sentido?" Gingrich ralhou em tom de irritação. "Você estava concorrendo à presidência enquanto era governador...você tem tentado persistentemente por anos e anos e anos".

Enquanto os ataques a Romney aumentavam, ele se saiu da melhor forma e não cometeu grandes erros, fazendo com que, dificilmente, esse ataque faça sua campanha bem financiada e organizada descarrilar.

A campanha bem financiada e o aval de pessoas high-profile alimentaram a imagem de que Romney é um candidato para ser superado, mas ele enfrenta persistentes dúvidas sobre suas credenciais conservadoras e não foi capaz de aumentar seu apoio entre os republicanos acima de 30%.

Uma pesquisa de New Hampshire feita pela Suffolk University pode dar nova vida para seus rivais. A pesquisa deu a Romney 35% de apoio - na terça-feira passada ele tinha 43% - 20% a Paul enquanto o ex-enviado americano à China, Jon Huntsman obteve 11% e Gingrich, 9%.

Hunstman foi bastante aplaudido no debate quando respondeu aos ataques de Romney sobre sua função de primeiro embaixador de Obama na China, dizendo que ele estava colocando seu país em primeiro lugar. Romney retaliou dizendo "a pessoa que deve representar nosso partido contra o presidente Obma não é alguém que o chamou de líder memorável".

Hunstman ganhou ainda mais aplausos com a tréplica, dizendo ao moderador da NBC: "Esta nação está dividida, David, por causa de atitudes como essa. O povo americano está farto dessa divisão partidária. Eles já tiveram o suficiente".

    Leia tudo sobre: eleição nos euarepublicanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG