O cineasta franco-polonês Roman Polanski foi detido no sábado na Suíça, onde iria participar do Festival de Zurique, por causa de uma ação judicial apresentada pelos Estados Unidos há mais de 30 anos por ter mantido relações sexuais com uma menor.

As autoridades suíças aguardam um "pedido oficial dos Estados Unidos para extraditar" Polanski, indicou neste domingo à AFP uma porta-voz do Ministério suíço da Justiça.

Segundo a agência suíça ATS, o cineasta estaria detido no aeroporto de Zurique.

Hoje com 76 anos, Polanski foi detido em 1977 em Los Angeles devido a uma ação judicial apresentada pelos pais de uma adolescente de 13 anos. Na época, declarou-se culpado de "relações sexuais ilegais".

Passou um mês e meio na prisão. No final de janeiro de 1978, no dia seguinte a uma reunião entre seus advogados e um juiz, na qual este deu a entender que voltaria a ordenar sua prisão, Roman Polanski embarcou em um avião para a Europa, onde vive desde então.

Devido a sua detenção, os organizadores do festival adiaram a entrega do prêmio pelo conjunto de sua carreira que Polanski deveria receber neste domingo.

Em Paris, o ministro francês da Cultura, Fréderic Mitterrand, declarou-se "estupefato" com a detenção de Polanski, e lembrou que o cineasta é cidadão francês.

O ministro "acaba de ficar sabendo com estupefação" da detenção de Polanski "diretor de cinema de reputação internacional e cidadão francês", indicou um comunicado do Ministério da Cultura.

Mitterrand afirmou que abordou o tema com o presidente "Nicolas Sarkozy, que acompanha o assunto com a maior atenção e compartilha o desejo (...) de uma solução rápida".

O cineasta de origem polonesa, que passou a sua infância no gueto de Cracóvia, adquiriu nacionalidade francesa em 1976. Em 1969, sua esposa, a atriz Sharon Tate, foi barbaramente assassinada quando estava grávida pelo assassino em série Charles Manson.

Polanski é autor de uma extensa obra cinematográfica como diretor, roteirista, ator e produtor. Uma obra repleta de contrastes que suscitou ao mesmo tempo admiração e reservas. Em 2002, recebeu a Palma de Ouro do Festival de Cannes por "O pianista".

apo/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.