Roma expulsa chefe de comando palestino pelo sequestro de navio de cruzeiro

O chefe do comando palestino que havia tomado pessoas como reféns, em 1985, no navio italiano Achille Lauro - um episódio durante o qual foi assassinado um americano -, foi expulso neste sábado para a Síria por autoridades italianas, anunciou à AFP a agência aeroportuária Telenews.

AFP |

Youssef Maged Al Molky, 47 anos, condenado a 30 anos pela Justiça de Gênova (norte), passou 23 anos e 8 meses de prisão, tendo sido beneficiado no final de abril com libertação antecipada por boa conduta.

Cumprindo a decisão de expulsão, apesar do casamento na prisão com uma cidadã italiana, ele foi levado neste sábado ao aeroporto de Roma Fiumicino tendo sido escoltado durante o voo que decolou às 20H00 GMT para Damasco.

"Eles estão me enviando à morte", declarou Al Molky ao chegar ao aeroporto de Roma, ao lado de dois policiais, segundo a agência Telenews.

A tomada de reféns, em 1985, terminou com a morte de Léon Klinghoffer, um judeu americano tetraplégico de 69 anos. Abatido pelo comando por quatro homens porque era judeu e protestava, o homem foi atirado ao mar em sua cadeira de rodas.

kd/juv/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG