Roh Moo-hyun cometeu suicídio, diz ex-secretário

Seul, 23 mai (EFE).- O ex-presidente sul-coreano Roh Moo-hyun deixou um bilhete suicida antes de cair hoje de uma montanha, afirmou seu antigo secretário e advogado Moon Jae-in.

EFE |

Roh, de 62 anos e que presidiu a Coreia do Sul entre 2003 e fevereiro de 2008, à frente do partido progressista Uri, morreu esta manhã em decorrência das graves lesões sofridas ao cair de uma montanha na vizinhança de sua casa, em Gimhae, no sul do país.

Moon Jae-in disse que o ex-governante "se atirou" por vontade própria e que deixou uma breve carta a sua família.

Roh teve seu nome envolvido recentemente em um escândalo de suborno e pediu perdão aos sul-coreanos pelo ocorrido.

Sua morte foi confirmada às 9h30 locais (21h30 de sexta-feira em Brasília), em um hospital de Busan (sul do país), de acordo com a agência sul-coreana "Yonhap".

Em 30 de abril, Roh Moo-hyun compareceu ao escritório da Promotoria em Seul para depor sobre o envolvimento em um escândalo de suborno.

O ex-governante era suspeito de ter recebido US$ 5 milhões de um empresário sul-coreano quando presidia o país.

Em dezembro de 2008, seu irmão mais velho, Roh Gun-pyeong, foi detido por supostamente aceitar um suborno em troca de um favor empresarial para a construtora Daewoo. EFE ce/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG