Atenas, 19 nov (EFE).- O Colosso de Rodes, uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, voltará a vigiar o porto da ilha grega após 2.

300 anos, mas desta vez em forma de holograma, segundo um projeto da Prefeitura local.

"O novo Colosso de Rodes será um espaço emblemático para a ilha, uma criação arquitetônica única que incluirá o simbolismo do Colosso e se identificará com a paz, a liberdade, os valores humanos e a proteção do meio ambiente", declarou à Agência Efe hoje o prefeito Jachis Jachieftimiu.

Segundo ele, a idéia surgiu durante uma recente reunião da World Trade Center Association em Dubai e responde a um projeto que a Prefeitura de Rodes leva dois anos desenvolvendo e que inclui a construção de um centro de congressos no porto da ilha.

"Sempre foi um sonho da Prefeitura reconstruir o Colosso", disse à Efe Nikos Karambelas, diretor do escritório do prefeito.

"Não será uma estátua real, por temor aos freqüentes terremotos, mas um holograma da própria estátua", acrescentou.

A ilha de Rodes, situada no sudeste do Mar Mediterrâneo, sofreu fortes abalos em sua história, incluindo um de magnitude de 7,5 graus na escala Richter em 1956.

"Os raios laser recrearão o que se pensa que foi a estátua em sua forma clássica, e como parte da apresentação se incluirá seu desmoronamento, conseqüência do terremoto que aconteceu em torno do ano 226 A.C.", explicou Karamabelas.

O destino dos restos da estátua original, feita de bronze e obra do escultor Carés de Lindos, não se sabe de forma precisa até hoje.

A estátua original, que representava o deus do Sol Hélios, ficava no porto de Rodes, na parte nordeste da ilha, tinha entre 33 e 36 metros de altura. As pernas do monumento eram abertas sobre o canal, de modo que embarcações passassem por ela quando entrassem no porto.

O holograma será feito pelo artista alemão Gert Horf, que iluminou os monumentos da Acrópole de Atenas, em 2000. EFE afb/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.