Funcionário de agência nuclear japonesa diz que número de pessoas expostas à radiação pode chegar a 160

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou, neste sábado, que o risco para a saúde pública do vazamento de radiação no Japão parece ser "muito baixo". Ainda assim, a OMS ressaltou que peritos médicos estão prontos para ajudar se forem solicitados.

O reator número 1 da usina atômica de Fukushima Daiichi, no nordeste do Japão, liberou radiação após o forte terremoto e o tsunami que atingiu o nordeste do Japão na sexta-feira, danificando o sistema de refrigeração. O operador foi então forçado a liberar pressão que se tinha acumulado no reator.

"Neste momento parece ser que o risco para a saúde pública é provavelmente muito baixo. Entendemos que a radiação que escapou da planta é muito pequena em quantidade," porta-voz da Organização Mundial da Saúde, Gregory Hartl, disse à Reuters.

Ainda assim, estima-se que o número de indivíduos expostos à radiação do terremoto atingiu a usina nuclear em Fukushima nordeste do Japão possa chegar a 160, informou um funcionário da Agência de Segurança Industrial e Nuclear do Japão. Até então, a prefeitura de Fukushima havia indentificado três pessoas com sinais de exposição, mas afirmava nenhuma delas apresentava problemas de saúde. Elas teriam sido expostas enquanto esperavam para ser retiradas de área próxima à usina.

A usina de Fukushima 1 está localizada a cerca de 250 quilômetros de Tóquio. Neste sábado, as autoridades ampliaram a zona de isolamento de 10 km para 20 km em torno da usina após uma explosão destruir as paredes de um edifício e deixar quatro funcionários feridos.

Na sexta-feira, o sistema de resfriamento de reatores falhou em duas usinas, o que levou o governo a declarar estado de emergência em cinco unidades de reatores - dois na planta Fukushima 1 e três na vizinha Fukushima 2. As cinco instalações fecharam depois do grande tremor.

Sob a lei japonesa, uma emergência deve ser declarada se um sistema de resfriamento falha. No total, o país tem 55 reatores fornecendo cerca de um terço da eletricidade do país. Segundo um especialista brasileiro , o risco de contaminação ambiental ainda é pequeno. 

Agentes procuram por sinais de radiação em crianças que foram retiradas de área próxima à usina de Fukushima
Reuters
Agentes procuram por sinais de radiação em crianças que foram retiradas de área próxima à usina de Fukushima

Causas

O porta-voz do governo japonês, Yukio Edano, afirmou que a explosão foi causada pela liberação de ar e vapor radioativos, medida tomada para tentar reduzir a pressão sobre os reator, que não foi danificado. Segundo Edano, após a explosão a pressão de fato diminuiu, assim como o nível de radiação no local.

A liberação de ar e vapor foi necessária por causa de falhas no sistema de resfraimento de duas usinas - a Fukushima 1 e a Fukushima 2. Os reatores de ambas foram desligados após o terremoto, mas mesmo após o desligamento é necessário dissipar o calor produzido pela atividade nuclear.

Localizaçao de usina nuclear
Arte/iG
Localizaçao de usina nuclear

*Com AP, EFE e BBC e R euters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.