O presidente do Federal Reserve, o banco central americano, Ben Bernanke, disse nesta segunda-feira que a economia do país pode ter evitado um recuo mais forte e que os riscos desaceleração substancial foram dissipados.

Em um discurso durante um encontro de banqueiros no Massachussets, Bernanke afirmou que as medidas adotadas pelo governo, como os cortes na taxa de juros e nos impostos, ajudaram o país a superar as dificuldades econômicas.

Segundo ele, apesar do aumento histórico, registrado em maio, na taxa de desemprego no país - que atinge 5,5% da população economicamente ativa - o risco da economia entrar em queda acentuada teria sido "dissipado" no último mês.

Apesar de otimista, Bernanke ressaltou que o aumento no preço da energia eleva o risco inflacionário.

O presidente do Fed afirmou ainda que a instituição vai resistir a qualquer tendência de declínio na economia dos EUA.

Resistência
Nos últimos meses, o Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, reduziu a taxa básica de juros com o objetivo de estimular uma retomada do crescimento da economia americana.

O país ainda enfrenta os reflexos da crise do mercado de crédito imobiliário para pessoas consideradas com alto risco de inadimplência, que reduziu a oferta de crédito e provocou prejuízos altos em alguns bancos.

Em abril, Bernanke, havia admitido uma possível recessão nos Estados Unidos.

No dia seguinte, o economista-chefe do FMI (Fundo Monetário Interrnacional), Simon Johnson, disse que a economia do país havia chegado a um estado de "paralisia virtual".

Leia mais sobre: Fed

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.