Risco de guerra em caso de reação desproporcionada a lançamento norte-coreano

Uma reação desproporcionada ao lançamento previsto de um foguete por parte da Coreia do Norte que, segundo os Estados Unidos e seus aliados asiáticos, é na realidade um míssil de longo alcance Taepodong-2, poderia desencadear uma guerra, advertiu nesta quarta-feira o International Crisis Group (UCG).

AFP |

Segundo esse instituto independente com sede em Bruxelas, "uma resposta virulenta demais provavelmente comprometerá" as negociações internacionais que há quase seis anos tentam fazer com que o regime comunista de Pyongyang renuncie as suas ambições atômicas.

Atualmente em ponto morto, essas negociações se deparam com as modalidades de verificação do desmantelamento das instalações nucleares norte-coreanas.

Dando as costas para parte da comunidade internacional que o pressionou para que renunciasse a seu projeto, a Coreia do Norte anunciou que pretende colocar em órbita entre 4 e 8 de abril um "satélite de telecomunicações" que deverá sobrevoar o norte do Japão.

Mas os Estados Unidos e seus aliados asiáticos suspeitam que na realidade trate-se de um teste de um míssil de longo alcance Taepodong-2, que poderia alcançar o Alasca.

O ICG advertiu em seu site que recorrer a mísseis para interceptar o foguete norte-coreano poderia, no pior dos cenários, desencadear "uma guerra com efeitos potencialmente devastadores para Coreia do Sul, Japão e para a economia mundial".

O Japão, que mobilizou suas baterias de mísseis antimísseis, advertiu nesta quarta-feira que está decidido a proteger seu território de qualquer lançamento de foguete norte-coreano caso haja um incidente ou um erro de trajetória.

Pyongyang respondeu que se seu foguete for interceptado, interpretará a ação como um "ato de guerra" e que novas sanções da ONU serão consideradas um "ato hostil" que provocará a ruptura das negociações em matéria nuclear.

sm/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG