Rio de Janeiro, 20 mai (EFE).- As balas perdidas deixaram 16 mortos e 220 feridos no Rio de Janeiro em 2008, informou hoje o Governo do estado.

Segundo um relatório publicado hoje pela Secretaria de Estado de Segurança, o Rio teve uma queda de 15,4% nesses casos em relação ao ano anterior.

Entre 2006 e 2008, os três anos em que existe esse tipo de registro, 56 pessoas morreram e outras 683 ficaram feridas por balas perdidas na região, onde vivem cerca de 16,5 milhões de pessoas.

A grande maioria das vítimas de balas perdidas estava em bairros da periferia do Rio e em municípios vizinhos.

Os autores do estudo consideraram surpreendente que 62,5% dos mortos e 80,9% dos feridos fossem homens, partindo do princípio de que as balas perdidas são algo "aleatório".

O estudo também chama a atenção para que em 69,5% dos casos não aconteceu tiroteio próximo ao lugar onde a vítima estava, o que poderia ter relação com a utilização de fuzis de longo alcance por traficantes.

Em 4,1% dos casos, foram registrados tiroteios entre grupos nas imediações e em 5%, troca de tiros entre a Polícia e grupos armados.

Nos demais 21,4% foram registrados outros eventos, como roubos à mão armada e bailes funk.

No ano passado, o Rio teve 5.717 assassinatos, ao que seria preciso somar 235 mortos em tentativas de roubo e 1.137 em tiroteios pelas mãos da Polícia. EFE mp/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.