Rio de Janeiro tenta voltar ao normal 4 dias depois do temporal

Rio de Janeiro, 9 abr (EFE).- O Rio de Janeiro tenta se refazer da catástrofe e voltar ao normal quatro dias depois do temporal que arrasou a região, embora em muitas zonas os efeitos das chuvas, que deixaram 190 mortos até agora, ainda sejam visíveis.

EFE |

Os trabalhos de resgate continuavam hoje no Morro Dois Prazeres, em Santa Teresa, onde um deslizamento de terra arrasou dezenas de casas na favela nesta terça-feira.

Apesar de terem sido encontrados 23 mortos na região entre segunda-feira e hoje, a tragédia do Morro Dois Prazeres passou para o segundo plano com os desmoronamentos da quarta-feira à noite na cidade de Niterói, vizinha ao Rio. Os bombeiros calculam que 200 pessoas devem estar sepultadas pelos escombros.

Na manhã de hoje as forças de emergência retiraram três corpos da montanha de lodo que desceu do Morro Dois Prazeres e ainda buscam sete desaparecidos. Teme-se que o número total de mortos na favela aumente para 30.

Na falta de um censo oficial dos habitantes das favelas e zonas de risco, os bombeiros se baseiam em informações de vizinhos e conhecidos para fazer suas estimativas sobre o número de desaparecidos.

Já na zona sul da cidade, as chuvas não deixaram nenhum morto, apenas danos materiais. Além disso, graças ao transbordamento da Lagoa Rodrigo de Freitas, que encheu as calçadas de peixes e chegou a afetar as instalações esportivas do Clube de Futebol Flamengo, várias ruas foram bloqueadas.

A força do temporal também é visível no mar, onde uma ressaca que começou ontem e continuou hoje tragou metros da praia. Os únicos beneficiados foram os surfistas, que aproveitaram para pegar ondas dignas do Hawaí na praia de Copacabana, habitualmente calma e cheia de turistas. EFE af/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG