Rio bate Madri e será sede da Olimpíada de 2016

A cidade do Rio de Janeiro foi eleita nesta sexta-feira a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 pelo Comitê Olímpico Internacional. Esta é a primeira vez que uma cidade da América do Sul é escolhida para de sediar uma Olimpíada.

BBC Brasil |

A decisão foi anunciada pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional, Jacques Rogge, após a votação dos delegados do organismo em Copenhague, Dinamarca, nesta sexta-feira.

O Rio era considerado uma das cidades favoritas para ser a sede dos Jogos.

Surpreendentemente, Chicago, que também era uma das favoritas, foi eliminada na primeira rodada de votações.

Uma comissão formada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ministros, o governador do Rio, Sergio Cabral, o prefeito, Eduardo Paes, atletas, e outras personalidades brasileiras, foi a Copenhague para fazer lobby pela candidatura.

Segundo uma fonte do governo ouvida pela BBC Brasil, Lula e as outras autoridades presentes comemoraram bastante a eliminação de Chicago e Tóquio.

Apresentação
Durante a apresentação da candidatura do Rio nesta sexta-feira, o presidente Lula afirmou que o Rio 'une continentes' e 'tem paixão' por Olimpíadas.

"Essa candidatura não é só nossa. É também da América do Sul. Está na hora de a pira olímpica ser acesa num país tropical", afirmou Lula, que encerrou seu discurso ressaltando a "paixão do povo brasileiro" pelos esportes.

Foi este também o tema do filme do cineasta Fernando Meirelles apresentado em seguida, com muitas imagens de cariocas recebendo delegações estrangeiras vestindo roupas em cinco cores diferentes pelas ruas da cidade.

A imagem final, das delegações formando os cinco anéis olímpicos na praia de Copacabana, cercadas por milhares de cariocas, foi muito elogiada pelos jornalistas que assistiam à apresentação em Copenhague.

Surpresa
Antes do anúncio da cidade vencedora na disputa, os delegados do COI surpreenderam ao eliminar Chicago já na primeira fase da votação.

A cidade americana foi a que recebeu menos votos para ser a sede dos Jogos de 2016, seguida pela capital do Japão, Tóquio, que ficou na terceira colocação.

Chicago era considerada, junto com o Rio, uma das favoritas para receber a Olimpíada, principalmente após o anúncio de que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, iria a Copenhague para participar pessoalmente da última fase da campanha.

De acordo com o repórter da BBC Adam Brookes, que está em Chicago, a eliminação da cidade americana poderá ser vista como uma derrota para o próprio presidente Obama e seu poder de persuasão.

Obama, que antes de ser presidente morava em Chicago e era senador por Illinois, se envolveu, junto com a primeira-dama Michelle, de modo muito pessoal na campanha.

Para Brookes, oposicionistas americanos podem usar a derrota olímpica para argumentar que o prestígio do presidente está diminuindo e levantar questões sobre a qualidade dos conselheiros políticos de Obama.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG