Rice se despede do departamento de Estado com lágrimas nos olhos

Muito emocionada, a secretária de Estado americana Condoleezza Rice se despediu do departamento de Estado nesta sexta-feira sob os aplausos de centenas de funcionários e diplomatas americanos reunidos no hall de entrada do ministério.

AFP |

"Vocês sempre terão um lugar cativo nos meus pensamentos, em minhas orações e meu coração", declarou Rice, a voz embargada pela emoção, ao término de um discurso dedicado à importância de defender a liberdade e a democracia em todos os lugares do mundo.

Apesar de continuar no cargo até terça-feira ao meio-dia, hora em que o presidente eleito, Barack Obama, tomará posse, Rice não deve mais voltar ao edifício do departamento de Estado americano.

Ela deixou na mesa de seu escritório uma carta de boas-vindas para Hillary Clinton, sua sucessora designada para o cargo, aguardada quarta-feira pela manhã no departamento de Estado.

Rice deve passar o fim de semana com o presidente George W. Bush na residência de Camp David, a 50 km de Washington, até a cerimônia de posse de Obama.

Condoleezza Rice poderia ter sido pianista, um dia, mas a conselheira e amiga pessoal do presidente George W. Bush acabou se tornando uma das mulheres mais influentes do mundo.

Nascida em 14 de novembro de 1954, esta mulher vaidosa e elegante comanda desde a posse de Bush, em janeiro de 2001, o Conselho Nacional de Segurança (NSC, sigla em inglês), criado em 1947 para coordenar as relações entre a Casa Branca, o Departamento de Estado, o da Defesa e os serviços de inteligência.

Primeira mulher a ocupar este posto, Rice enfrentou circunstâncias excepcionais com os atentados de 11-S e a guerra contra o Iraque.

Chamada afetuosamente pelo presidente Bush de 'Condi', ela é considerada uma pessoa muito segura de si, acostumada às intervenções públicas.

Como pianista, tocou sem nervosismo em público com grandes personagens da música clássica, como o violoncelista Yo-Yo Ma. Seu nome, considerado incomum, foi inventado por sua mãe, professora de música, inspirando-se em "con dolcezza" - com doçura.

Depois de uma infância que qualifica de feliz num bairro negro burguês de Birmingham (Alabama, sul), "Condi" assistiu aos violentos confrontos que marcaram a luta pelos direitos civis dos negros.

Especialista em União Soviética, foi com esse título que entrou no NSC durante a presidência de George Bush pai (1989-1993).

George W. Bush a convocou depois para que se convertesse em sua conselheira diplomática antes de sua vitoriosa campanha eleitoral em 2000.

Um grande afeto une agora "Condi" Rice ao casal presidencial, a quem acompanha freqüentemente em seu rancho particular de Crawford (Texas, sul). Bush não hesita, inclusive, em abraçá-la com intimidade diante das câmeras.

sl/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG