Rice pressiona por novo cessar-fogo no Oriente Médio

Washington, 30 dez (EFE).- A secretária de Estado americana , Condoleezza Rice, aumentou as pressões aos líderes árabes e israelenses para um cessar-fogo durável no Oriente Médio, região afetada por novos focos de violência, disse hoje o Departamento de Estado.

EFE |

Rice "está trabalhando arduamente para conseguir que ambos os lados acordem restabelecer um cessar-fogo e que este possa ser plenamente respeitado", disse aos jornalistas um porta-voz do Departamento de Estado, Gordon Duguid.

Segundo o porta-voz, a chefe da diplomacia americana realizou uma série de consultas telefônicas com líderes árabes e israelenses, entre eles o rei Abdullah da Jordânia, na busca de uma solução duradoura e para que o grupo radical Hamas não lance mais ataques contra Israel.

Os Estados Unidos responsabilizaram o Governo do Hamas na Faixa de Gaza pela nova espiral de violência, iniciada após o fim de um cessar-fogo de seis meses em 19 de dezembro.

O Governo do Hamas lançou ataques com foguetes rumo ao território israelense, e Israel respondeu com bombardeios aéreos contra alvos militares e civis na Faixa de Gaza.

Os ataques nos últimos quatro dias mataram pelo menos 380 palestinos e quatro israelenses.

Em paralelo, o Departamento de Estado disse hoje em comunicado que os Estados Unidos contribuirão com US$ 85 milhões em assistência humanitária para os refugiados palestinos na Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

O dinheiro será canalizado através de uma agência das Nações Unidas encarregada de dar assistência humanitária aos refugiados palestinos no Oriente Médio.

Do total de fundos, US$ 25 milhões serão destinados aos trabalhos que as Nações Unidas realizam na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, e os outros US$ 60 milhões irão para o fundo geral da Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina no Oriente Médio (UNRWA, na sigla em inglês).

Através dessa ajuda humanitária, os refugiados palestinos, que formam 70% da população na Faixa de Gaza e 30% da Cisjordânia, receberão provisões "urgentemente necessárias" como alimentos, remédios e outros tipos de assistência humanitária, destacou o comunicado.

Por sua vez, a contribuição americana ao fundo geral da UNRWA apoiará os projetos de educação, cobertura médica e serviços sociais para mais de 4,6 milhões de refugiados palestinos inscritos nesses programas na Faixa de Gaza, Cisjordânia, Jordânia, Líbano e Síria, acrescentou o documento.

Em 2008, os Estados Unidos contribuíram com US$ 184,68 milhões para a UNRWA, diz o documento.

O Departamento de Estado também reiterou seu pedido às partes envolvidas para que se permita a entrada de ajuda por parte de UNRWA e outras organizações de assistência humanitária. EFE mp/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG