PorArshad Mohammed TEL AVIV (Reuters) - A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, chamou neste sábado a construção de assentamentos judeus de um problema e afirmou que Israel não havia feito o suficiente para amenizar as restrições aos palestinos na Cisjordânia ocupada.

'Olha, isso é um problema e eu acho que vamos avaliá-lo com os israelenses,' afirmou Rice sobre os recentes anúncios de construção de assentamentos enquanto voava para Tel Aviv, em sua sexta viagem neste ano na tentativa de acelerar as conversas de paz entre israelenses e palestinos.

Ásperas disputas sobre assentamentos e um escândalo de corrupção que pode forçar o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, a deixar o cargo minaram os esforços dos EUA para alcançar um acordo sobre o problema neste ano, disseram autoridades israelenses, palestinas e do Ocidente.

Antes da chegada de Rice, Israel anunciou a aprovação da construção de 1.300 novas casas em uma região da Cisjordânia que o governo de Israel considera como parte de Jerusalém.

A porta-voz do Ministério do Interior, Sabine Hadad, afirmou que as habitações, planejadas para a região ultra-ortodoxa de Ramat Shlomo, foram aprovadas pelo conselho de planejamento regional como parte do plano-mestre habitacional de Jerusalém.

O negociador palestino Saeb Erekat classificou o anúncio como parte de 'uma política sistemática de destruir o processo de paz' e exortou Rice a fazer do tema a sua principal prioridade.

'Isso será certamente um tópico de conversas e espero levantar o assunto com todas as autoridades e lideranças israelenses,' afirmou Rice. 'Dissemos antes que este é um tempo de tentar e construir confiança, e isso simplesmente não ajuda.'

Ramat Shlomo é localizada em uma terra tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967. Israel incorporou a área às fronteiras municipais de Jerusalém em um ato não reconhecido internacionalmente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.