Rice faz visita histórica a Khadaffi na Líbia

Por Sue Pleming TRÍPOLI (Reuters) - A secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, realizou na sexta-feira uma histórica visita ao líder líbio, Muammar Khaddafi -- chamado no passado de cachorro louco por um ex-presidente dos EUA -, o que segundo ela comprova que Washington não tem inimigos permanentes.

Reuters |

É a primeira visita de um secretário de Estado dos EUA à Líbia em 55 anos. Em 2003, Trípoli voltou à comunidade internacional ao abrir mão de armas de destruição em massa.

'Esta viagem está reconhecendo até onde chegaram as relações EUA-Líbia, mas é o começo, não o final da história', disse Rice ao chegar ao país, que é rico em petróleo.

Durante anos, Washington considerou Khaddafi como um dos maiores patrocinadores mundiais do terrorismo, por causa de incidentes como a explosão de um jato da Pan Am sobre a Escócia, em 1988, atentado que resultou na condenação de um agente líbio. Em 1986, os EUA bombardearam a Líbia, matando uma filha de Khadaffi.

Nos últimos anos, porém, o coronel, no poder desde 1969, atenuou sua retórica antiocidental, e na sexta-feira recebeu Rice numa sala de seu palácio cheirando a incenso. Mais tarde, a levaria para o 'iftar', tradicional refeição que rompe o jejum do dia durante o mês sagrado do ramadã.

Ele usava uma túnica branca e um broche verde com o mapa da África. Em vez de apertar a mão da secretária, colocou a mão direita sobre o próprio coração. Ele então apertou as mãos de assessores da secretária e a convidou a se sentar. Rice agradeceu pela hospitalidade.

Ali perto ainda estão as ruínas da casa que ele habitava e foi destruída pelos EUA em 1986. Habitualmente, as autoridades líbias fazem questão de mostrar o estrago a estrangeiros, mas não há indicação de que a comitiva de Rice tenha visto os escombros.

Rice disse a jornalistas que sua visita 'demonstra que os EUA não têm inimigos permanentes'.

'Quando os países estão preparados para fazer mudanças estratégicas, os Estados Unidos estão preparados para responder. Bem francamente, nunca pensei que visitaria a Líbia, então isso é alguma coisa [bem marcante].'

O último secretário de Estado a visitar a Líbia foi John Foster Dulles, em maio de 1953, quando Rice nem era nascida.

Antes de ser recebida por Khadaffi, ela se encontrou com o chanceler Mohammed Abdel-Rahman Shalgam para discutir cooperação educacional e no setor de petróleo, segundo a agência local de notícias Jama.

Rice só aceitou visitar a Líbia depois que foi oficializado o pacote de indenizações mútuas para vítimas dos atentados líbios e dos bombardeios norte-americanos.

Khadaffi certa vez foi chamado de 'cachorro louco do Oriente Médio' pelo então presidente dos EUA Ronald Reagan. Mas ele também já expressou admiração por Rice.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG