Rice e Sarkozy pedem à Rússia e à Geórgia que assinem plano de paz

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, e o presidente francês, Nicolas Sarkozy, pediram nesta quinta-feira a Moscou e a Tbilisi que assinem sem adiamentos o plano de paz já aprovado para acabar com o conflito na Geórgia.

AFP |

Paris e Washington manifestaram seus pontos de vista sobre a crise, afirmando principalmente sua vontade de que a integridade territorial da Geórgia seja respeitada pela Rússia.

Rice fez escala na França antes de seguir, nesta sexta-feira, para Tbilisi enquanto Washington prossegue exigindo a retirada das tropas russas, endurecendo o tom contra Moscou.

"É hora de o conflito acabar", declarou Rice após um encontro com Sarkozy no Forte de Brégançon, residência oficial dos chefes de Estado ao sul da França.

"É preciso deter o choque da guerra, leva um tempo, mas avança", disse Sarkozy.

Após a reunião, a presidência francesa indicou em um comunicado que os dois líderes disseram que o "protocolo de acordo de seis pontos aprovado pelo presidente russo, Dmitri Medvedev, e o presidente georgiano Mikhail Saakachvili, em 12 de agosto, devia ser assinado sem prazo pelas partes, para consolidar o fim das hostilidades e acelerar a retirada das forças russas sobre suas posições anteriores a 7 de agosto passado".

A França, que preside a União Européia (UE), está na origem deste plano, que foi aceito mas não formalmente assinado, e cuja aplicação ainda é considerada frágil em campo.

"Rice levará amanhã à Geórgia uma série de documentos que permitirão consolidar o cessar-fogo", declarou Sarkozy.

"Se amanhã o presidente (Mikhail) Saakachvili assinar o documento que negociamos com o presidente russo Dmitri) Medvedev então poderemos iniciar a retirada das tropas russas. É o que está em causa", destacou.

Um funcionário americano, que não quis se identificar, explicou à AFP que não se trata de novos documentos, mas de esclarecimentos sobre alguns pontos do acordo.

O presidente francês disse também que a "situação está melhorando progressivamente.

Sarkozy garantiu que há "uma grande identificação no ponto de vista entre a França e os EUA, na vontade de obter a paz, a retirada das forças militares russas da Geórgia e o respeito da soberania, a independência e a integridade da Geórgia".

"A Geórgia, cuja integridade territorial nós respeitamos, deve poder voltar à vida normal", disse a secretária de estado americana,

Rice destacou que Medvedev prometeu acabar com as operações militares russas.

"Esperamos que ele cumpra com suas palavras", destacou.

"Vamos trabalhar duro par ver se podemos dar um fim a esta crise", acrescentou.

Em Moscou, o chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov, declarou que a integridade territorial da Geórgia "era limitada de fato", e Moscou ameaçou reconhecer a independência dos dois territórios separatistas da Abkházia e da Ossétia do Sul.

O acordo de cessar-fogo prevê o retorno das forças georgianas em seus quartéis e a retirada das tropas russas em suas posições de antes do início do conflito na Ossétia do Sul em 8 de agosto.

As tropas russas ainda estavam nesta quinta-feira em Gori, cidade estratégica perto da Ossétia do Sul.

sl-lm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG