Rice diz que os EUA aprenderam a ser melhores parceiros para a América Latina

Washington, 7 mai (EFE).- A secretária de Estado dos Estados Unidos, Condoleezza Rice, reconheceu hoje que as relações de seu país com a América Latina nem sempre foram positivas, mas afirmou que desde 2001 aprenderam a ser melhores parceiros para a região.

EFE |

"Temos que admitir que entre os EUA e a América Latina a relação nem sempre foi positiva, devido a nossa longa história que, na realidade, se remonta a nossa fundação", afirmou Rice durante a 38ª conferência anual do Conselho das Américas, organismo que promove o desenvolvimento econômico na região.

Rice admitiu que alguns "erros" foram cometidos nas relações com a América Latina, o que atribuiu a "preocupações mais globais e de viés ideológicos"; que, às vezes, dificultaram ver com clareza o que estava acontecendo na região.

A chefe da diplomacia americana acrescentou que em momentos de grande transformação no continente, os EUA também estão mudando seu papel e que, desde 2001, aprenderam a ser "melhores parceiros" para esta região.

Nesse sentido, reiterou o apoio do Governo dos EUA ao livre-comércio e ao processo de democratização em Cuba que, em sua opinião, figuram entre os principais desafios da região.

Os EUA negociaram dez acordos comerciais com países latino-americanos desde 2001 e com a ratificação dos pactos pendentes "teremos criado uma cadeia ininterrupta de nações com livre-comércio, desde Canadá até a ponta do Chile", enfatizou Rice.

A chefe da diplomacia americana também pediu ao Congresso que aprove a Iniciativa Mérida para ajudar a combater o narcotráfico e o crime organizado no México e na América Central. EFE mp/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG