intimidação russa - Mundo - iG" /

Rice diz que Ocidente deve resistir a intimidação russa

Por Susan Cornwell WASHINGTON (Reuters) - O Ocidente deve resistir à intimidação da Rússia, que está cada vez mais autoritária e agressiva, disse na quinta-feira a secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice.

Reuters |

Em seu primeiro grande pronunciamento sobre a Rússia desde a invasão da Geórgia, em agosto, Rice disse que a reputação internacional de Moscou está em seu pior nível desde 1991, logo em seguida ao colapso soviético.

A secretária, cuja formação é como especialista em assuntos soviéticos, disse que a invasão da Geórgia é parte de um padrão por parte de Moscou que inclui também o uso do gás e do petróleo como arma política, a suspensão de um tratado sobre forças convencionais na Europa e ameaças nucleares contra nações pacíficas.

'O quadro que emerge deste padrão de comportamento é o de uma Rússia cada vez mais autoritária internamente e agressiva no exterior', disse Rice em um duro discurso ao Fundo Marshall Alemão.

Segundo ela, os EUA e a Europa não devem permitir que os russos colham benefícios desse tipo de ação 'nem na Geórgia, em lugar nenhum'.

'Nosso objetivo estratégico é deixar claro aos líderes da Rússia que suas escolhas estão colocando a Rússia em um caminho de mão-única para o isolamento auto-imposto e a irrelevância internacional.'

A Rússia diz que invadiu a Geórgia para impedir um genocídio nas repúblicas separatistas da Ossétia do Sul e Abkházia, cuja independência Moscou posteriormente reconheceu, apesar das críticas internacionais.

Alguns analistas dizem que a Rússia pode estar tentando exercer mais influência sobre ex-repúblicas soviéticas que estão se voltando para o Ocidente, especialmente a Ucrânia --que a exemplo da Geórgia também pleiteia uma vaga na Otan.

SEM 'ESFERA DE INFLUÊNCIA'

Rice rejeitou a idéia de uma 'esfera de influência' da Rússia sobre seus vizinhos, e disse esperar que os líderes do Kremlin 'superem sua nostalgia por outra época'.

'Não podemos nos permitir validar os preconceitos que alguns líderes russos parecem ter: que se você pressionar suficientemente as nações livres, se você intimidar, e ameaçar, e agredir, nós iremos ceder, e esquecer, e afinal ceder', disse ela. 'Os Estados Unidos devem se opor a esse tipo de comportamento e a todos os que o defendem.'

Ela sugeriu que o comportamento russo ameaça seu envolvimento em várias organizações internacionais, como o Grupo dos Oito (composto pelos sete países mais industrializados do mundo mais a própria Rússia) e a Organização Mundial do Comércio (cuja adesão pleiteia).

Mas Rice afirmou que os EUA continuarão buscando áreas de interesse comum com a Rússia, como o fim dos programas nucleares da Coréia do Norte e do Irã.

Apesar da relutância de alguns aliados europeus, Rice disse que Geórgia e Ucrânia continuam com as portas abertas na Otan.

Em resposta a uma pergunta, ela disse que não há comparação entre a invasão norte-americana do Iraque, em 2003, e a ação russa na Geórgia.

'Não acho que haja semelhança com invadir um pequeno país democrático cujo único crime aparentemente foi ter desejado ser parte do mundo emergente transatlântico', afirmou.

Um porta-voz disse que Rice telefonou na quinta-feira de manhã ao chanceler russo, Sergei Lavrov, para avisar a ele sobre o discurso.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG