Nações Unidas, 24 set (EFE).- As negociações multilaterais sobre os planos nucleares da Coréia do Norte não estão mortas apesar das medidas de Pyongyang para reativar seu reator, afirmou hoje a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice.

Em Nova York, onde participa da Assembléia Geral da ONU, Rice afirmou que as ações da Coréia do Norte só "isolarão ainda mais o país".

"Todo mundo sabe qual é o caminho, o caminho é ter um acordo sobre o protocolo de verificação. Os norte-coreanos sabem", declarou a secretária de Estado.

Rice fez uma declaração similar à feita previamente na Casa Branca, que pediu hoje que a Coréia do Norte abandone seus planos de reativar o reator nuclear em Yongbyon.

Em declarações aos jornalistas que acompanham o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, na sua visita a Nova York, o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Gordon Johndroe, afirmou que a iniciativa norte-coreana é "muito decepcionante e vai contra as expectativas dos membros das conversas multilaterais".

"Pedimos firmemente à Coréia do Norte que reconsidere esses passos e retome o cumprimento de suas obrigações, como estão esclarecidas no acordo multilateral", afirmou Johndroe.

"Continuamos abertos a novas conversas com a Coréia do Norte sobre suas obrigações dentro do protocolo de verificação", acrescentou.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) anunciou hoje que a Coréia do Norte retirou todos os lacres da ONU da usina de Yongbyon para reabastecer em uma semana a central de processamento de urânio com material nuclear.

Além disso, o regime norte-coreano comunicou aos inspetores da AIEA que eles não terão mais acesso a Yongbyon.

A Coréia do Norte tinha se comprometido em novembro a desmantelar o reator, dentro das negociações multilaterais que envolvem as duas Coréias, China, Rússia, Japão e EUA.

As conversas visavam cancelar o programa atômico norte-coreano em troca de incentivos econômicos e diplomáticos a Pyongyang.

O regime de Pyongyang entregou em maio a documentação aos EUA sobre seu programa nuclear e destruir uma das torres de refrigeração do reator.

No final de agosto, no entanto, disse que restabeleceria o funcionamento do reator, entre disputas com os dois lados da negociação sobre como realizar a inspeção do processo de desnuclearização.

Bush se encontrou na segunda-feira com o presidente da China, Hu Jintao, com quem concordou colaborar para tentar persuadir a Coréia do Norte a retomar o processo de desnuclearização. EFE mv/wr/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.