Rice diz que EUA estudam envio de ajuda humanitária à Geórgia

Washington, 12 ago (EFE) - A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, pediu hoje à Rússia que detenha suas operações militares contra a Geórgia e destacou que os Estados Unidos estão estudando enviar ajuda humanitária para esse país. Estamos revisando nossas opções para a ajuda humanitária e de reconstrução para a Geórgia. Mas, o mais importante agora é que cessem estas operações militares, disse Rice ao sair de uma reunião na Casa Branca para informar ao presidente dos EUA, George W.

EFE |

Bush, do conflito entre Geórgia e Rússia.

Rice explicou que participou hoje de uma nova conferência telefônica com os outros seis países do Grupo dos Sete (G7 - Alemanha, França, Itália, Reino Unido, Japão e Canadá), na qual o ministro de Exteriores francês, Bernard Kouchner, informou da mediação que seu Governo realiza com Geórgia e Rússia.

"Eles acham que fizeram algum progresso e nós avaliamos isso. E certamente avaliamos a mediação da União Européia (UE). É muito importante agora que todas as partes estabeleçam o cessar-fogo", afirmou a titular do Departamento de Estado americano.

"Continuaremos trabalhando pela via diplomática sobre a questão e continuaremos nossas discussões com todas as partes envolvidas", acrescentou a chefe da diplomacia americana.

Rice destacou que a Geórgia acordou um cessar-fogo e que "os russos têm que suspender as operações militares, como aparentemente disseram que farão, mas essas operações militares devem realmente parar, porque deve-se restabelecer a calma".

A diplomata disse que posteriormente fará esforços internacionais para facilitar a retirada das tropas da zona de conflito.

"Só assim poderemos abordar o assunto de como resolver os conflitos que se arrastam sobre (as províncias separatistas) da Ossétia do Sul e da Abkházia", afirmou Rice.

A secretária de Estado não respondeu a perguntas dos jornalistas sobre se os EUA cogitam alguma ação militar para apoiar a Geórgia, um firme aliado americano na região.

No entanto, reiterou a postura do Governo dos EUA de que apóia a "integridade territorial" e a "soberania" da Geórgia, e seu Governo eleito de forma democrática.

O porta-voz da Casa Branca, Tony Fratto, afirmou hoje que o Governo americano não pôde confirmar se a Rússia suspendeu as ações militares na Geórgia após o anúncio do presidente desse país, Dmitri Medvedev, e avalia a veracidade de suas palavras.

"Estamos tentando obter uma avaliação do que significa exatamente (o anúncio), que significa suspender e se foi implementado", afirmou Fratto. EFE mp/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG