Rice diz que EUA estariam seguros com Obama na Casa Branca

Washington, 7 ago (EFE) - A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, afirmou que os Estados Unidos estariam seguros se o democrata Barack Obama for eleito à Presidência da Casa Branca e descartou ter interesse em concorrer pela Vice-Presidência. Os Estados Unidos ficarão bem, disse Rice em entrevista publicada hoje pela revista Politico, em resposta a uma pergunta sobre se Obama poderia garantir a segurança do país. A campanha do republicano John McCain apresentou Obama, que completou esta semana 47 anos, como uma opção arriscada para a segurança americana, dada a limitada experiência do senador por Illinois. Rice descartou esses temores.

EFE |

A secretária de Estado americana se referiu também ao aumento de militares no Iraque que começou em janeiro do ano passado e ao qual se opôs Obama.

Rice disse que o êxito da operação permitirá que o número de soldados no país vá diminuíndo, o que beneficia os planos de Obama, que é a favor de fixar um calendário de 16 meses para a retirada dos militares.

Ela destacou que os iraquianos ainda "não estão prontos" para a retirada total das tropas de coalizão, mas insistiu em que o atual debate sobre as responsabilidades adicionais do Governo iraquiano representa um "momento feliz" para os EUA.

"As negociações que ocorrem sobre como sustentar uma presença tanto tempo quanto for necessário são muito importantes", explicou.

"Os Estados Unidos trabalharam para alcançar o dia (...) no qual as forças de segurança iraquianas fossem capazes de assumir a maioria desses papéis (os de garantir a segurança) por si próprios", insistiu.

"Acho que os iraquianos reconhecem que ainda há coisas que precisam ser feitas pela coalizão", destacou, em referência a missões de formação e a certas operações de combate.

"Mas o simples fato de que tenhamos estas discussões com os iraquianos sobre a transferência destas responsabilidades é um dia feliz para os Estados Unidos", afirmou.

Quanto ao mais, descartou estar interessada em concorrer pela Vice-Presidência.

"Não estou interessada em conseguir outro trabalho no Governo com ninguém", afirmou.

Ela antecipou que planeja escrever um livro sobre a política externa americana durante os oito anos da Presidência de George W.

Bush, durante os quais foi uma das assessoras mais próximas e leais do atual inquilino da Casa Branca.

Rice mencionou que a política externa experimentou uma grande mudança durante o período, ao reconhecer, disse, a importância de transformar Estados frágeis em Estados fortes com um sistema de Governo democrático.

A secretária americana se referiu também ao papel que teve a atual Administração à hora de mudar a forma na qual se percebe o terrorismo e a forma de derrotá-lo, assim como a insistência em que a defesa da democracia seja um valor central da política externa americana.

"Tenho vontade de escrever sobre isso", reconheceu. EFE tb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG