Rice critica Carter por reunião com Hamas

Por Sue Pleming KUWEIT (Reuters) - A secretária norte-americana de Estado, Condoleezza Rice, criticou na terça-feira o ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter por conversar com o grupo islâmico Hamas, o que segundo ela não ajuda os palestinos a chegarem a um acordo de paz com os israelenses.

Reuters |

'Os Estados Unidos não vão tratar com o Hamas e certamente dissemos ao presidente Carter que não achamos que a reunião com o Hamas iria ajudar os palestinos', disse Rice no intervalo de uma conferência reunindo grandes potências e vizinhos do Iraque.

Carter se encontrou no fim de semana na Síria com o líder exilado do Hamas, Khaled Meshaal. Ele tenta atrair o grupo, que governa a Faixa de Gaza, para o processo de paz que envolve o governo de Israel e a Autoridade Palestina, sob controle da Fatah, que administra a Cisjordânia.

Rice e outras autoridades dos EUA manifestaram a preocupação de que o encontro de Carter com Meshaal iria apenas complicar as atuais negociações, já bastante lentas. Washington espera que um acordo que leve ao Estado palestino seja definido ainda durante o governo de George W. Bush, que termina em janeiro.

'Queríamos garantir que não haja confusão e que não haja a sensação de que o Hamas é de alguma maneira uma parte nas negociações de paz que Abu Mazen [Mahmoud Abbas, presidente palestino] manteve com o primeiro-ministro israelense, [Ehud Olmert]', disse Rice.

'Para que novamente não haja confusão: [Abbas] é a liderança palestina que está comprometida com a paz, que renunciou à violência e que negociou com o governo israelense', disse Rice.

Na segunda-feira, Carter negou ter sido aconselhado pelo Departamento de Estado a não ir à região. Rice o contradisse, dizendo que foi orientado firmemente a evitar a viagem.

'Aconselhamos o presidente Carter contra ir à região e particularmente contra ter contatos com o Hamas', disse ela.

Carter, que em 1979 ajudou a negociar o primeiro acordo de paz de Israel com um vizinho árabe, o Egito, disse que a atual política norte-americana de isolamento do Hamas 'simplesmente não está funcionando'. Ele disse que o objetivo da viagem seria tentar superar o impasse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG