Riad, 8 jun (EFE).- A Arábia Saudita planeja endurecer as medidas contra os clérigos que instigarem os jovens a viajarem ao Iraque para combater as tropas americanas e cometer atos de violência.

Fontes judiciais sauditas citadas pelo jornal "Al Watan" afirmam que o Governo permitirá às famílias dos sauditas detidos ou mortos em ações de terrorismo a perseguirem judicialmente os religiosos muçulmanos que, com suas idéias radicais, influenciaram os pensamentos dessas pessoas.

O jornal traz o testemunho de vários pais cujos filhos morreram ou foram detidos no Iraque. Porém, não cita o número destes nem divulga detalhes sobre os futuros planos de Riad contra os pregadores acusados de "incitação".

No entanto, a matéria relata o pedido de vários pais para que as autoridades enviem aos tribunais os religiosos acusados de instigação.

A Arábia Saudita, berço do Islã e terra natal do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, luta há anos contra células da rede terrorista no país.

Nos últimos meses, o Governo intensificou sua campanha nas mesquitas para combater o que chama de "pensamento desviado".

Riad também decidiu estabelecer um sistema de alarme em sua fronteira com o Iraque para impedir a infiltração de extremistas sauditas no país vizinho e vice-versa. EFE ma/wr/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.