Por Susan Heavey WASHINGTON (Reuters) - Os medicamentos orais contra tosse e resfriados, vendidos habitualmente sem receita médica, não devem ser administrados a crianças menores de 4 anos, por causa do risco de complicações raras associadas ao uso inadequado, disseram laboratórios na terça-feira.

A maioria dos problemas ocorreu em crianças que receberam uma dose errada ou que consumiram os remédios por acidente, segundo a Associação dos Consumidores dos Produtos da Saúde (CHPA, na sigla em inglês), que representa os laboratórios Procter & Gamble e Novartis, entre outros.

"Estamos fazendo isso por excesso de cautela", disse Linda Suydam, presidente do grupo. "A pesquisa mostra que erros de dosagem e ingestão acidental - não a segurança dos ingredientes em si quando adequadamente dosados - são as principais causas de efeitos adversos em crianças pequenas", disse o grupo em nota.

A entidade disse ter adotado essa posição depois de consultar a Administração de Alimentos e Drogas dos EUA (FDA), que na semana passada realizou audiência pública sobre o assunto.

Médicos e ativistas dos direitos do consumidor queriam que a FDA desaconselhasse o uso em menores de 12 anos, argumentando que nunca houve comprovação da segurança e eficácia dos medicamentos, tornando-os arriscados demais para a administração em crianças.

Há relatos de convulsões, derrames e outros efeitos colaterais por causa dos remédios contra resfriados. Até agora, os laboratórios e a FDA desaconselhavam o uso em menores de 2 anos. A agência do governo disse que ainda está analisando os argumentos contra o uso para crianças maiores, mas que em princípio apóia os novos limites do setor.

Alguns médicos elogiaram a adoção da medida, considerando que elas podem evitar que pais de crianças muito pequenas comprem produtos perigosos. "É a faixa etária em que agarram uma mamadeira e sugam", lembrou Joshua Sharfstein, comissário de saúde em Baltimore, Maryland, que na semana passada propôs à FDA que a limitação fosse ampliada para 6 anos. Para ele, a recomendação até 4 anos já é "um grande passo à frente".

Mas outros envolvidos acham que a recomendação não basta, e que o Congresso deveria aprovar uma lei exigindo reavaliação da FDA sobre todos os remédios infantis contra resfriados que são vendidos sem receita.

Entre os produtos disponíveis nos EUA com essas características estão Dimetapp (laboratório Wyeth), NyQuil (Procter & Gamble), Triaminic (Novartis AG), Tylenol e PediaCare (Johnson & Johnson's), entre outros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.