Reunião do Mercosul analisa problemas enfrentados por mulheres

Assunção, 26 mai (EFE).- Funcionárias e especialistas de setores estatais de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai começaram hoje o debate sobre problemas ligados a gênero, na 21ª Reunião Especializada da Mulher do Mercosul, realizada em Assunção e que vai até sexta-feira.

EFE |

Entre os temas que serão debatidos no encontro no Paraguai, país que exerce a Presidência rotativa do Mercosul, estão "a violência contra a mulher", "mulheres imigrantes em situação de prisão", "tráfico de pessoas", entre outros, como disseram fontes da organização do evento à Agência Efe.

A reunião, que começou hoje com conversas técnicas preparatórias, será presidida pela ministra da Mulher do Paraguai, Gloria Rubín, e contará com a participação de representantes de órgãos sobre o tema de Brasil, Argentina e Uruguai, membros plenos do Mercosul.

Além disso, estarão presentes delegações convidadas das Secretarias da Mulher de Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru, México e Venezuela.

As fontes destacaram que a Reunião Especializada da Mulher do Mercosul tem o objetivo de analisar a situação da igualdade de oportunidades para ambos os sexos. O encontro leva em conta a legislação dos países que fazem parte do bloco, para "contribuir com o desenvolvimento social, econômico e cultural".

A primeira reunião aconteceu em 1998, no Rio de Janeiro, onde foram determinadas as agendas de trabalhos e suas principais metas.

EFE rg/pd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG