Reunião de países não-alinhados termina com apoio ao Irã

Teerã, 30 jul (EFE) - Os ministros de Assuntos Exteriores e representantes do Movimento de Países Não-Alinhados (NOAL) encerraram hoje a reunião realizada em Teerã com um apelo à reforma da ONU e um apoio ao acesso das nações em desenvolvimento à tecnologia nuclear para fins pacíficos, incluindo o Irã.

EFE |

Segundo a televisão estatal iraniana, os ministros aprovaram a "declaração de Teerã" e um comunicado que inclui a opinião dos integrantes do NOAL sobre "várias questões internacionais e regionais".

O comunicado pede a reforma das Nações Unidas e do Conselho de Segurança da ONU, e solicita que o Oriente Médio esteja livre das armas de destruição em massa, pelo que exige que Israel coloque as instalações do país sob a supervisão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Além disso, rejeita as pressões ocidentais sobre o Irã para que suspenda suas atividades nucleares, e considera que a polêmica sobre o programa iraniano deve ser tratada pela AIEA, e não pelo Conselho de Segurança da ONU, que adotou três resoluções com sanções contra a República Islâmica.

No entanto, o texto respalda as negociações realizadas este mês em Genebra entre o Irã e representantes do grupo formado por Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha para resolver o conflito pela via diplomática, segundo a televisão estatal.

"O NOAL apoiou o programa nuclear iraniano como um direito legítimo do Irã", disse o assessor do ministro de Assuntos Exteriores iraniano, Mohamad Ali Hosseini, segundo a televisão "Alalam".

O comunicado pede a aplicação das resoluções do Conselho de Segurança relativas à questão palestina e o estabelecimento de um Estado palestino independente, e condena as "agressões e o bloqueio israelenses contra o povo palestino".

A conferência ministerial do NOAL foi inaugurada na terça-feira pelo presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que pediu um maior papel do grupo nos fóruns internacionais para defender os interesses de seus 118 integrantes. EFE msh/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG