Reunião de Netanyahu e Mitchell termina sem acordo

JERUSALÉM - O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e o enviado americano George Mitchell concluíram nesta quarta-feira uma reunião sem anunciar nenhum acordo, mas devem se encontrar novamente na sexta-feira.

Redação com agências internacionais |

"Os encontros de Netanyahu e Mitchell aconteceram em um bom ambiente. Decidiram reunir-se na sexta-feira em Jerusalém", declarou o porta-voz de Netanyahu, Mark Regev.

O anúncio da terceira reunião entre os dois esta semana aconteceu após o final do encontro de hoje, no qual Mitchell queria conseguir de Israel um acordo para conter a ampliação das colônias judaicas em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia, condição palestina para retomar o processo de paz, estagnado desde o final de 2008.

Mitchell voltará na sexta-feira a Jerusalém, após visitar países árabes vizinhos, a fim de abordar as possibilidades de gestos de normalização em relação ao Estado judeu em troca de que o governo de Netanyahu dê passos a favor da paz.

Dentro de sua viagem pela região, o enviado da Casa Branca compartilhou ontem à noite com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, um "iftar" - refeição com a qual os muçulmanos quebram o jejum diário no mês do Ramadã - na cidade cisjordaniana de Ramala.

Após sua reunião, nem Mitchell nem Abbas fizeram declarações precisas sobre o conteúdo do encontro.

No entanto, Saeb Erekat, assessor de Abbas, afirmou que "nossa posição continua sendo a mesma. Não vimos passos que nos façam mudá-la. Até que haja mudanças por parte de Israel, não nos movimentaremos".

Washington trabalha para que israelenses e palestinos retornem à mesa de negociações com uma reunião trilateral entre Abbas, Netanyahu e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em torno do próximo dia 23 em Nova York, em paralelo à Assembleia Geral da ONU.

As declarações dos porta-vozes oficiais das diferentes partes e a necessidade de que Mitchell prolongue sua estadia na região para uma terceira reunião com Netanyahu parecem indicar que, até o momento, os esforços americanos não deram resultado.

Leia mais sobre: Oriente Médio

    Leia tudo sobre: israeloriente médiopalestina

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG