Retorno de embaixador brasileiro a Quito consolida relação, diz Equador

QUITO - O retorno do embaixador do Brasil no Equador, Antonino Marques Porto, consolida a relação bilateral e restabelece plenamente a situação diplomática entre os dois países, assegurou nesta terça a Chancelaria equatoriana.

EFE |

Marques Porto retornou esta tarde a Quito, depois de em 21 de novembro ter sido chamado para consultas por seu Governo, em meio a uma forte tensão diplomática gerada pela impugnação do Equador de um crédito brasileiro.

O retorno a Quito do embaixador brasileiro representa "o pleno restabelecimento das relações diplomáticas entre os dois países, sem menosprezar a reivindicação dos interesses nacionais", assinala em comunicado a Chancelaria.

O ambiente de tensão diplomática entre Quito e Brasília começou em outubro, quando o Equador decidiu expulsar a Odebrecht do país, depois de detectar falhas estruturais na construção da hidroelétrica San Francisco.

A execução dessa obra estava ligada a um crédito de US$ 243 milhões outorgado pelo Banco de Desenvolvimento Social (BNDES), que Quito impugnou por presumir irregularidades em sua contratação.

No dia 20 de novembro, o Equador anunciou que tinha apresentado um processo de arbitragem na Câmara de Comércio Internacional de Paris, para frear o pagamento do crédito.

O presidente equatoriano, Rafael Correa, esclareceu que seu país continuaria pagando as parcelas de vencimento do crédito ao BNDES, enquanto esperava por uma decisão do tribunal de Paris.

No domingo passado, a Chancelaria brasileira anunciou o retorno do embaixador, após confirmar o pagamento da parcela de juros do crédito do BNDES.

O chanceler equatoriano, Fander Falconí, disse na segunda-feira que o problema com o Brasil estava superado, mas insistiu em que mantinha o processo em Paris.

    Leia tudo sobre: equador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG