Retorno de Discovery amanhã pendente de condições climáticas

Washington, 19 abr (EFE).- A nave Discovery fará amanhã uma nova tentativa de aterrissagem na Terra, após o cancelamento desta segunda-feira pelo mau tempo, mas se as condições não estiverem adequadas o retorno poderá ocorrer só na quarta-feira.

EFE |

As nuvens e a chuva no sul da Flórida (EUA) foram os motivos que prejudicaram o retorno ao Centro Espacial Kennedy, e privaram os americanos da rara oportunidade de ver a nave cruzando os céus ao fim da missão de duas semanas.

Com sete astronautas a bordo, a Discovery teve hoje dois períodos propícios para a entrada em órbita, a cerca de 350 quilômetros da Terra, mas as condições meteorológicas em torno do Centro Espacial forçaram a Nasa a adiar a aterrissagem até amanhã.

Se as condições forem adequadas para a aterrissagem no Centro Kennedy nesta terça-feira os motores da Discovery serão ligados às 7h31 (horário de Brasília) e a nave tocará a pista às 8h33 (de Brasília).

Os astronautas podem permanecer em órbita até quarta-feira e a agência espacial americana tem a opção de usar a pista de aterrissagem na Base Aérea de Edwards, na Califórnia.

A Nasa prefere que suas naves aterrissem na Flórida, que é a base de operações destas naves, dado que isto economiza aproximadamente uma semana e US$ 1,8 milhão do custo de transporte da nave montada sobre um avião Boeing 747.

Durante a missão, que marcou a primeira ocasião na qual quatro mulheres ficaram em órbita, a Discovery levou à Estação Espacial Internacional toneladas de provisões e novas equipes de cientistas.

A missão da nave Discovery iniciou em 5 de abril e, durante os três dias de trabalhos fora da ISS, os astronautas retiraram um velho tanque de amoníaco, parte do sistema de refrigeração da célula orbital, instalaram um novo e carregaram o antigo para o interior da nave para seu retorno à Terra.

Esta é uma das últimas missões antes de os Estados Unidos aposentem suas três naves deste tipo de uma frota de cinco que começou a operar em 1981.

A nave "Challenger" foi destruída em 1986, em um acidente no qual morreram sete astronautas, e o Colúmbia explodiu quando retornava à Terra em 2003, outra catástrofe que custou a vida de sete astronautas.

Depois desta missão, estão programadas só três de nave até que os Estados Unidos contem com veículos de substituição. Até lá, o abastecimento, substituição das tripulações e manutenção da ISS será feita por naves russas Soyuz.

Segundo o calendário da Nasa, em 14 de maio, a nave Atlantis iniciará uma missão que levará à ISS materiais de manutenção, ferramentas e novos componentes pressurizados russos.

Em 29 de julho, o Endeavor iniciará uma missão que levará à ISS um espectrômetro e um veículo logístico.

Em 16 de setembro, o ônibus espacial Discovery começará o voo final da era das naves em uma missão para levar mais equipes e um módulo logístico à Estação Espacial Internacional. EFE jab/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG