Retirar soldados dos EUA seria bom gesto da Colômbia, diz Chávez

Para líder venezuelano, medida indicaria compromisso de presidente eleito da Colômbia para retomar relações entre os dois países

Reuters |

AP
Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acena depois de participar de encontro da Alba em Otavalo, Equador
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse nesta sexta-feira que retirar os soldados americanos de território colombiano seria um bom sinal para avaliar o desejo de mudança do novo governo do país vizinho, com o qual mantém relações congeladas.

O recém-eleito presidente da Colômbia , Juan Manuel Santos, ofereceu trabalhar para melhorar os vínculos com Caracas , estremecidos desde que Bogotá permitiu um maior acesso a militares dos EUA Unidos a sete de suas bases. O acordo foi considerado por Chávez como uma ameaça à sua "revolução".

"Há um governo eleito na Colômbia. Tomara que o novo governo retire as bases ianques do território sagrado da pátria irmã colombiana. Esse seria um fruto para avaliar o desejo de mudanças", disse Chávez em cúpula de países latino-americanos no Equador. "Mas vamos recorrer àquilo que é palavra sagrada na Bíblia. Por seus frutos o conheceremos."

Venezuela e Colômbia mantêm tensas relações políticas e comerciais desde 2009, quando Chávez ordenou "congelar" o comércio bilateral como protesto diante do acordo militar com os EUA.

Enquanto Bogotá é o principal aliado dos EUA na região, o governo de Chávez é seu maior crítico e sustenta que o acordo militar entre Bogotá e Washington ameaça a segurança de sua riqueza petrolífera.

A Colômbia, por sua vez, defende a validade do acordo militar como uma garantia para a luta contra o narcotráfico e os rebeldes marxistas no seu território.

    Leia tudo sobre: ColômbiaJuan Manuel SantosVenezuelahugo Chávez

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG