Retirada de pedido de adesão não afeta relações com a Venezuela, diz Paraguai

Assunção, 17 ago (EFE).- O ministro das Relações Exteriores do Paraguai, Héctor Lacognata, disse hoje que as relações com a Venezuela não foram afetadas pela retirada do pedido para que o ingresso pleno da Venezuela no Mercosul fosse aprovado no Senado nacional.

EFE |

"As relações bilaterais (com a Venezuela) continuam. Temos uma agenda e vamos levá-la adiante no âmbito político e comercial", afirmou Lacognata aos jornalistas, após uma reunião com a embaixadora venezuelana em Assunção, Nora Uribe.

Na última quinta-feira, o Governo paraguaio retirou da pauta do Senado o pedido para a aprovação do ingresso da Venezuela no bloco integrado por Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, dadas as chances de a oposição vetar a adesão.

Nesse dia, Lacognata argumentou que havia "um clima negativo" e um "risco de rejeição" ao protocolo de adesão, e que o ideal seria aguardar um contexto mais favorável.

Ele também disse que temia atritos nas relações bilaterais no caso de um veto ao ingresso.

A Venezuela é o principal fornecedor do Paraguai e as autoridades de ambos os países negociam novos contratos desse combustível, assim como o refinanciamento de uma dívida de pouco mais de US$ 300 milhões da companhia estatal paraguaia com a Petróleos de Venezuela S.A. (PDVSA).

A adesão da Venezuela foi aprovada pelos Governos do Mercosul em 4 de julho de 2006, mas sua ratificação está pendente nos Congressos do Brasil e do Paraguai. EFE lb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG