Resultados parciais apontam liderança maoísta nas eleições do Nepal

Os ex-rebeldes maoístas lideram as eleições históricas do Nepal, realizadas na quinta-feira, e que devem abolir a monarquia, segundo os primeiros resultados parciais anunciados neste sábado.

AFP |

"Na manhã de sábado, os maoístas controlam 56 circunscrições das 102 onde se contam atualmente os votos", indicou à AFP Laxman Bhattarai, porta-voz da Comissão Eleitoral.

Os comícios irão eleger uma Assembléia Constituinte, que provavelmente irá abolir a monarquia e proclamar a República.

A Assembléia irá contar com 601 deputados, eleitos em um sistema majoritário e proporcional.

Apesar desta primeira tendência de liderança, apenas dentro de uma semana os 240 deputados eleitos segundo a votação majoritária serão conhecidos, informou a Comissão Eleitoral.

A contagem proporcional irá levar mais tempo, e os resultados devem demorar algumas semanas.

Cinco candidatos maoístas foram eleitos neste sábado. Os ex-rebeldes esperam superar a barreira eleitoral de 15% dos votos, segundo os prognósticos de analistas e diplomatas.

"Somos um novo partido e não temos experiência eleitoral, mas estamos muito felizes", declarou à AFP Rajkaji Maharajan, um dos cinco eleitos em Laliptur, próximo de Katmandu.

Em pleno centro da capital, milhares de nepaleses comemoraram os primeiros resultados, com os rostos pintados de vermelho e agitando bandeiras comunistas.

Na quinta-feira, com "um entusiasmo transbordante", como disse a ONU, cerca de 60% dos 17,6 milhões de eleitoral do Nepal votaram para a Assembléia que deve transformar a monarquia do rei Gyanendra em uma República.

Os Estados Unidos, que consideram os maoístas como "terroristas", saudaram na sexta-feira as eleições como "um avanço histórico".

bur-nr/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG