As primeiras operações de recontagem parcial dos resultados da eleição presidencial iraniana de 12 junho não mostraram nenhuma mudança em relação aos números iniciais, informou nesta segunda-feira a agência Fars.

O Conselho dos Guardiões, encarregado de validar a reeleição do presidente Mahmud Ahmadinejad, decidiu recontar 10% das urnas, escolhidas "ao acaso" em todas as províncias do país.

A decisão foi tomada para acabar com as acusações de fraude em grande escala proferidas pelos três candidatos rivais de Ahmadinejad na eleição de 12 de junho: Mir Hossein Moussavi, Mehdi Karubi e Mohsen Rezai.

Nenhum dos três aceitou enviar representantes para participar do processo de recontagem.

Segundo a Fars, a recontagem iniciada na manhã desta segunda-feira já acabou na grande cidade de Karaj (norte), em Kerman (sul), em Nahbandan (leste), Sarbisheh (leste) e Babolsar (norte).

De acordo com a agência, os resultados não mudaram após a recontagem. O Conselho dos Guardiões confirmou várias vezes desde o dia 12 de junho que a reeleição de Ahmadinejad é válida.

O órgão deve se pronunciar novamente sobre o assunto, enquanto continua o movimento de contestação contra o processo eleitoral.

Moussavi, o principal candidato da oposição, negou antecipadamente qualquer legitimidade ao Conselho para se pronunciar sobre a eleição de forma imparcial. Ele pediu a instauração de uma comissão independente do poder, ou a organização de uma nova eleição.

bur/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.