Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Restrições do Brasil impedem consenso em Declaração de Lima

LIMA - As condições apresentadas pelo Brasil ao programa Euroclima, que busca coordenar ações contra o aquecimento global, impediram por enquanto um consenso em torno da Declaração de Lima, que deverá ser ratificada pelos líderes da América Latina, do Caribe e da União Européia na próxima sexta-feira.

EFE |

O Brasil tem "muitos receios" sobre a iniciativa porque a percebe como uma tentativa européia de se intrometer em sua política energética, disseram à Agência Efe fontes européias em Lima.

O Euroclima é um projeto apresentado pela Comissão Européia (CE, órgão executivo da UE) que tem a intenção de criar um plano de ação conjunto para o meio-ambiente e de luta contra a mudança climática na América Latina.

A Comissão conseguiu reunir um orçamento de 5 milhões de euros (US$ 7,7 milhões) para dotar o programa de fundos próprios, aproveitando recursos não utilizados.

"Não o entendemos", afirmou uma representante européia que participa das reuniões de altos funcionários preliminares à 5ª Cúpula América Latina-Caribe-União Européia (EU-LAC, na sigla em inglês) sobre as reservas do Brasil, que impediram a realização hoje da reunião plenária.

Agora os europeus se dispuseram a preparar uma nova redação da proposta "mais neutra possível" para apresentá-la para a parte européia com o objetivo de superar os receios do Brasil.

Os debates de altos funcionários continuam no Museu da Nação de Lima, de onde veio a informação de que outro dos assuntos polêmicos é a luta contra o narcotráfico.

Enquanto isso, Lima aguarda a chegada dos presidentes e dignatários que representarão na cúpula os 60 países-membros do grupo LAC-EU.

A atenção está centrada principalmente na aguardada chegada do presidente venezuelano, Hugo Chávez, e da chanceler alemã, Angela Merkel, envolvidos em um forte polêmica.

A participação de Chávez, que nos últimos dias lançou duras críticas contra a dirigente alemã, ainda não está confirmada, mas os organizadores da cúpula estão convencidos de que chegará antes de sexta-feira, quando será iniciada a Cúpula América-latina-UE.

"(Chávez) avisou verbalmente que vinha, embora não tenha confirmado por escrito", afirmou à Agência Efe o presidente da Comissão de Alto Nível da cúpula.

A sempre esperada chegada de Chávez aos eventos internacionais ganhou força desta vez depois que o venezuelano disse que a chanceler alemã pertence "à mesma direita que apoiou Hitler e o fascismo".

A resposta não tardou a chegar e Merkel, a caminho de Lima, destacou hoje aos jornalistas, em Brasília, que pode se cuidar sozinha e que não precisa de mediadores para superar o mal-estar gerado pelas últimas declarações de Chávez.

Para minimizar o assunto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que acompanhou Merkel na entrevista coletiva, completou: "Conheço bem Hugo Chávez e a chanceler, sei que eles se encontrarão, tomarão um café e a paz voltará a reinar".

As suaves palavras de Lula não impedirão, no entanto, que todos os olhos se voltem para o venezuelano e para a chanceler quando chegarem a Lima.

Nessa reunião, Chávez também se encontrará tête-à-tête com o presidente do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, com quem protagonizou uma forte polêmica na última Cúpula Ibero-Americana de Santiago do Chile.

Naquela ocasião, Chávez interrompeu Zapatero durante seu discurso e então o Rei Juan Carlos I pediu ao venezuelano que se calasse, o que deu lugar a uma crise sem precedentes entre os dois países.

Esse contexto faz prever novas controvérsias, tendo em vista que o presidente da Venezuela advertiu, em alusão ao incidente com o monarca espanhol, que não permitirá que o "mandem calar".

Lima aproxima-se assim de uma cúpula da qual se espera uma aproximação entre Colômbia e Equador, depois da crise iniciada entre os dois países pela incursão militar colombiana ao país vizinho, mas também deixa entrever uma dose de surpresa pelas mãos do sempre controverso Chávez.

Leia tudo sobre: mudanças climáticas

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG