Responsável iraniano acusa EUA por atentado mais sangrento nos últimos anos

Teerã, 29 mai (EFE).- Um responsável iraniano acusou hoje os Estados Unidos de estar por trás do atentado com bomba que causou 19 mortos em uma mesquita da cidade de Zahedan, na conflituosa fronteira com Afeganistão e Paquistão, o mais sangrento no Irã dos últimos 15 anos.

EFE |

Segundo um porta-voz do escritório do governador da província meridional de Sistão-Baluchistão, a Polícia deteve três suspeitos "recrutados pelos Estados Unidos" por sua relação com o ataque, ocorrido ontem.

"Ficou confirmado que quem está por trás do ato terrorista em Zahedan foram pagos pelos Estados Unidos e outras mãos arrogantes", disse Jalal Sayyah, em declarações à agência local "Fars".

O Irã acusou há anos Washington de ter financiado as atividades do grupo extremista sunita "Yundulah" (Exército de Alá), que atua na fronteira com Afeganistão e Paquistão e que tem vínculos com o movimento radical talibã.

"Os detidos foram levados a dependências policiais, onde estão sendo interrogados", detalhou, por sua parte, o governador da província, Ali Mohamad Azad.

O atentado, no qual ficaram feridas cerca de 80 pessoas, ocorreu pouco depois do entardecer na mesquita Amir al-Mohini, repleta a essa hora de fiéis que se preparavam para a oração vespertina.

Segundo algumas agências de notícias iranianas, foi um atentado suicida, visto que até o momento não foi confirmado.

O ataque acontece a apenas duas semanas antes de o Irã com as décimas eleições presidenciais da era revolucionária, que são considerados cruciais para o futuro do país.

O atentado mais grave sofrido no Irã desde a vitória da revolução islâmica em 1980 aconteceu em 1994 na cidade de Mashhad, na explosão de uma bomba no famoso mausoléu do imame Reza que deixou 26 mortos.

Em abril de 2008, e em um atentado similar, 14 pessoas morreram na explosão de uma bomba em uma mesquita da cidade meridional de Shiraz, no sudoeste do país. EFE jm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG