Responsável da ONU pede que A.Latina seja livre de bases estrangeiras

La Paz, 28 ago (EFE).- O presidente da Assembleia Geral da ONU, Miguel DEscoto, disse hoje que a América Latina deve ser declarada território livre de bases militares estrangeiras, ao iniciar uma visita à Bolívia, onde se reunirá com o presidente boliviano, Evo Morales.

EFE |

D'Escoto chegou hoje à cidade de La Paz para entregar neste sábado ao líder boliviano uma medalha e um pergaminho para declará-lo "Defensor Mundial da Mãe Terra".

Durante uma visita realizada à Universidade Maior de San Andrés de La Paz, D'Escoto se referiu à polarização existente hoje no continente sobre os acordos obtidos entre Colômbia e Estados Unidos para colocar à sua disposição bases militares em seu território.

"Eu acho que a América Latina deve ser declarada território livre de bases militares estrangeiras e eu lamento esta situação que está ocorrendo na Colômbia", disse o principal responsável da Assembleia da ONU.

Ele acrescentou que era de se esperar que, "com a tão pregoada política de mudança e retificação" do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, "estas coisas já não estivessem ocorrendo" porque "não favorecem a segurança ou a paz".

"Eu estou com aqueles que estão demonstrando muita preocupação com o que parece ser (...) uma espécie de transformar a Colômbia na Israel da América Latina e isso não ajudará nada", disse.

D'Escoto destacou que, além de Morales, que receberá uma distinção como "herói mundial da Mãe Terra", o líder cubano Fidel Castro foi nomeado "herói mundial da solidariedade". EFE ja/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG